terça-feira, junho 14, 2011

O Regresso do Eléctrico da Praia das Maçãs

Photobucket

De um texto da CMS:
"O histórico Eléctrico de Sintra vai regressar dia 17 de Junho aos carris, retomando o seu traçado original entre a Vila de Sintra e a Praia das Maças e fazendo, assim, a ligação entre a Serra e o Mar. É o regresso ao activo da linha mais romântica da Europa.

Assim, de Sexta-feira a Domingo, o Eléctrico circula para o público em geral e com carreiras regulares até à praia. (...)

A Câmara Municipal de Sintra apela à utilização adequada deste ex-libris de Sintra enquanto património histórico que importa preservar e legar, em plenitude, às gerações futuras."


Photobucket

Photobucket

4 comentários:

Carlos José Santos disse...

Caro Pedro
Sei do modo como denodadamente, se tem debatido pela manutenção do Eléctrico, estou absolutamente de acordo com a sua posição e postura perante o facto.
Quantas autarquias por esse país, quiça mundo fora, não desejariam ter um atractivo deste calibre para dar aos seus visitantes?
Aqui debatemos na Net a sua morte, e fazer daquela centenária via uma pista para bicicletas.
Há muito tempo que reflito sobre o tema, realmente é aflitivo ver o eléctrico parado ou sem ninguém.
Mas enquanto pequenas autarquias já se teriam virado para dar um produto semelhante aos seus visitantes, nós como estamos de barriga cheia, os turistas caiem-nos como moscas na Vila, vão ao Palácio, ficam deslumbrados com a serra e o Castelo, depois empurram-nos, para Cascais ou Lisboa, e vem mais uma carrada deles, não se faz nada porque não é preciso.
Não há circuitos para a nossa Zona Litoral, onde o elétrico tinha todo o cabimento.
Os turistas que vêm por meios próprios andam ali pela Vila completamente apalermados a fazer horas, sem saberem para onde ir, não serão todos, nem sempre, mas muitas vezes.
Aqui entraria o balcão do Turismo, com panfletos indicadores do percurso, preço e sugestões de locais a visitar, como Colares, Adega Regional. Juntar as pessoas certas, polas a trabalhar, e fazer parcerias.
Nisso os espanhóis são peritos, não perdem uma oportunidade de nos impingir um produto mesmo que seja uma simples visita a uma adega. A frase máxima; - O visitante compra sempre qualquer coisa, nem que seja um café, sendo muitos turistas, tudo fazia dinheiro.
O seu blogue presta melhores serviços que muito serviço público.
Um abraço.

carol disse...

A partir da Vila?... Mas isso é novidade, não é? Que bonito! No meu tempo o eléctrico partia da Estefânea. Embora nós fossemos apanhá-lo à Ribeira, a correr Arrassário abaixo...

pedro macieira disse...

De facto o eléctrico é uma imagem de marca de Sintra. Este ano a interrupção prolongada terá sido derivada da necessidade de obras ao longo linha que só terão terminado agora. Estas paragens longas do eléctrico não são positivas para fidelizar passageiros e também a integração do eléctrico no "pacote" turístico Sintrense tornaria possivel taxas de utilização superiores.
Durante os períodos de funcionamento não tenho a opinião que os eléctricos andem vazios, especialmente aos fins de semana.
A opção do seu funcionamento ser só de Sexta-Feira a Domingo será talvez a razão de a procura desse transporte durante a semana não ser muito significativa.
O eléctrico da praia das Maçãs é um Museu vivo, porque permite ao "visitante" uma viagem num mesmo meio de transporte do início do século passado, nas mesmas carruagens, que fazem parte integrante da história de Sintra. Durante a II Grande Guerra, era neste eléctrico que se fazia o transporte do Vinho de Colares que era na altura exportado para o Brasil, foi neste eléctrico que os Bombeiros de Colares atrelaram a sua bomba manual para a fazer chegar à Praia das Maçãs onde um incêndio devorava um Hotel Royal Bellevue em Outubro de 1921 e que quando o desafio foi ganho de o fazer chegar às Azenhas do Mar, a fonte jorrou vinho, que tinha sido a aposta feita...
A manutenção de um percurso não urbano, é também uma dificuldade na sua manutenção, mas um dos seus maiores atractivos.
Houve por parte de Fernando Seara uma intenção de fazer chegar de novo o eléctrico até à estação da CP de Sintra – o que permitiria de certeza um acesso mais fácil e um maior número de passageiros.Essa intenção esfumou-se e foi pena.
Por outro lado o eléctrico é a razão de muitos forasteiros portugueses e estrangeiros virem a Sintra - e as populações por onde a linha passa , reconhecem o eléctrico como fazendo parte integrante da "sua"paisagem.
Estes alguns dos motivos porque acho que a manutenção do eléctrico deve ser defendida.
Abraços

Carlos José Santos disse...

Correcção da palavra "pô-las", que por lapso foi mal escrita no comentário anterior.

Desculpem também não ligar nenhuma ao novo acordo ortográfico, quem sou eu para achar ou deixar de achar alguma coisa, sobre o tema 'acordo ortográfico', mas já estou um bocado "usado", para estar a alterar a escrita.
Oh! Carol eu no meu considerando não ponderei nunca, a hipótse de o Eléctrico voltar à Vila Velha, deixa-o lá estar onde está.
A confusão de trânsito na Vila já é suficiente sem o dito cujo. Está lá muito bem na Estefânia, já que o tiraram da Vila há tantos anos!...
Sobre o tráfego excessivo de automóveis na Vila falamos disso quando o Pedro Macieira abordar o tema.