quarta-feira, janeiro 23, 2013

Árvores de Sintra-Estado da Arte

Photobucket Foto (RiodasMaçãs) de Março 2010, e o resultado das "podas" nas tílias da Rua D.João de Castro onde foi hoje iniciada mais uma intervenção camarária.

Depois da tempestade (em Sintra) vem as "podas camarárias"
Após aviso de intervenção da CMS,em árvores em vários locais na Vila de Sintra e depois da tragédia  natural no derrube de mais de duas mil árvores- património arbóreo irrecuperável, surgem agora no terreno as acções de abate e podas por parte da autarquia na zona urbana de Sintra.

Estão já marcados na rua Alfredo Costa os 2 Plátanos que restam  e hoje começou na rua D.João de Castro, mais uma das radicais intervenções  a .que não conseguimos habituar-nos

Transcrevemos um texto de Fernando Morais Gomes, muito a propósito no Blogue Reino de Klingsor
Cuidado com os Abates!
.Fala-se em 5000 árvores derrubadas na serra de Sintra com os recentes temporais.Esperemos que a sanha arboricida não leve a pretexto de limpeza a cortes em massa que constituam uma agressão sangrenta a uma serra já castigada com o incêndio de Maio, e depois de esta semana terem sido anunciados novos abates no Centro Histórico. A sociedade civil sintrense tem de estar alerta e envolver-se, pois, a pretexto da segurança, muitas árvores estarão em risco, à semelhança do que ocorreu em anos anteriores, sabendo-se que uma vez posta a moto-serra a funcionar é imprevisível onde irá acabar. A segurança é um bem essencial, e é sabido que às árvores derrubadas pela raiz nada mais há a fazer senão remover, sem grande alteração do coberto envolvente, de preferência. Mas para as outras, pede-se ponderação, e que não haja a tentação de ceder a desejos egoístas de tudo derrubar, uma vez feita a limpeza que se mostre estritamente necessária.

Um texto de Fernando Morais Gomes no Blogue Reino de Klingsor


Sem comentários: