domingo, setembro 15, 2013

O Largo de Colares

BlogueInauguraçaoLargo15092013u
Este Domingo, Colares passou a ter um largo com o nome de António Nunes Rodrigues Caruna.

BlogueInauguraçaoLargo15092013d
Filha de António Caruna agradecendo a homenagem a seu pai

António Caruna  (1933-2008),recentemente homenageado (18/05/2013) por uma iniciativa do Pelouro da Cultura da Câmara Municipal de Sintra, na altura do seu 80º aniversário do seu nascimento, pelo seu "dedicado labor para o conhecimento da história da Vila de Colares e da sua Freguesia" - tem agora o seu nome ligado a um largo da Freguesia de Colares, um espaço em que as obras recentemente terminadas permitiram a sua inauguração na altura em que se vai iniciar uma acesa campanha eleitoral para as autarquias.

BlogueInauguraçaoLargo15092013g As forças vivas da Freguesia marcaram a presença nesta homenagem BlogueInauguraçaoLargo15092013k O Coro da Associação de Idosos, Reformados e Pensionistas do Mucifal Blogue
A banda dos Bombeiros Voluntários de Colares

Excerto de um texto publicado no blog Fogo&História, sobre António Caruna:
"(...)Paralelamente ao exercício das funções de 2.º comandante dos Bombeiros Voluntários de Colares, foi, em períodos distintos, presidente da Federação dos Bombeiros do Distrito de Lisboa e secretário administrativo da Liga dos Bombeiros Portugueses, notabilizando-se, a nível nacional, por inestimáveis provas de dedicação e competência.
A sua condição de cidadão activo levou-o a abraçar outras causas, nomeadamente no poder local, onde assumiu a presidência da Junta de Freguesia de Colares. Porém, numa entrevista que nos concedeu, na extinta Rádio Ocidente, ao falar da desmotivante experiência como autarca, afirmou-nos que a sua preferência recaíria, sempre, em primeiro lugar, nos bombeiros, reconhecendo que "a vida associativa é mais pura".
Homem de fino trato, culto e dono de um admirável poder de comunicação, verbal e escrito, António Caruna dedicou-se, também, à divulgação e preservação da história dos bombeiros portugueses, salientando-se como autor dos livros comemorativos dos centenários da Associação dos Bombeiros Voluntários de Colares e da Banda dos Bombeiros Voluntários de Colares. Entre outros trabalhos, o seu nome figura ainda na autoria do capítulo "Grandes Incêndios", incluído no primeiro volume do livro Bombeiros Portugueses. Seis Séculos de História, 1395-1995, editado pelo Serviço Nacional de Bombeiros e pela Liga dos Bombeiros Portugueses. "


7 comentários:

Anónimo disse...

ainda não pude por lá passar, mas da ultima vez que passei não existia mais o grande banco de pedra que sempre lá existiu desde que tenho memória. o que me pergunto é porque é que se lembraram de fazer desapareçer tal sitio de repouso e encontro que fez parte da vida de milhares de habitantes da freguesia e visitantes. a mim pelo menos faz-me falta e diferença. tal como as árvores abatidas, lá porque estamos a falar de pedra não é menos diferente. com tanto espaço foram na minha opinião tornar feio o largo com um cubo daqueles. não sabem fazer nada de geito esta gente. podiam muito bem fazer uma memória a personalidade honrada com algo mais bonito e num sitio mais enquadrado.

Anónimo disse...

boa tarde,
o sr. que fez o comentário,ou está a brincar ás oposições ou anda distraído.
eu por acaso passo lá todos dias,e não vi abater nenhuma árvore,antes pelo contrário foram plantados vários arbustos.
sobre o banco de pedra,os bancos e a mesa(não fala)esses estão num sítio mais digno.
sobre o banco de cimento (conversadeira)essa não está,mas penso na minha opinião que o espaço está muito agradável,não para toda a gente,mas para muita gente.
-eu como passo todos dias por lá,recordo-me como estava e como está.
-residente

Anónimo disse...

Pedro,
A parte final do seu texto, (referência ao início da campanha)quererá significar que a inauguração só agora acontece com intenções eleitoralistas?
Se assim é, não esteve atento ao que foi dito pela filha do homenageado: por múltiplos afazeres
profissionais no estrangeiro e sucessivas viagens, pediu adiamento da data, que esteve prevista para fins de Junho p.p.

pedro macieira disse...

Estive atento como normalmente estou atento ao que se passa em Sintra.Estávamos no dia inauguração a dois dias do inicío da campanha eleitoral para as autárquicas. As obras do largo começaram em Agosto, (tenho foto), no final do mandato desta vereação. Se considera que o motivo da inauguração no passado domingo aconteceu somente pelo adiamento da viagem da filha do homenageado, respeito a sua opinião que neste caso difere da minha.
Cumprimentos

Anónimo disse...

Só para responder ao senhor que comentou a minha opinião, que agradeço, e me esclareçeu, gostava de o esclareçer também que não me referia a arvóres abatidas ou drásticamente podadas no local, mas noutros pontos da freguesia e do concelho. E era sobre a "conversadeira" de cimento ou pedra que me referia, que pelo menos lá estava a mais de 20 anos e que ofereçeu muitas memórias, só quem sente é que entende, n se pode tirar as coisas assim. n sou de oposição nenhuma,nem distraido, sou um habitante desde nascença da freguesia e afirmo apenas que não podem tirar e por coisas a bel prazer, não desgosto do espaço remodelado, mas terem tirado o banco/conversadeira, entre outras coisas é que n me entra na cabeça. Bem haja.

Anónimo disse...

Pedro,
Nste caso da inauguração coincidente com o início da campanha, você não só estava distraído (e não ligou ao que disse a filha do homenageado)como também está errado.
De facto as obras de reconversão do largo estavam quase prontas em fins de Junho.
Você refere Agosto, talvez porque nessa altura começaram a trabalhar no pedestal (será este o nome correcto?).

pedro macieira disse...

Caro anónimo 10:39,
Agradeço o seu novo comentário.Quanto ao Largo, agora António Caruna, em Colares -temos uma visão diferente dos acontecimentos. O largo que já há muito tempo foi um parque infantil - e que foi agora inaugurado após cerca de dois meses de obras de beneficiação.Tenho fotos de dois momentos das obras, a última de 2/8/2013 com uma fase inicial da construção do cubo "pedestal" onde está inscrito a nova denominação do Largo.
Desde 11 de Outubro de 2009, até 15 de Setembro de 2013, teria havido tempo de fazer a obra sem que houvesse qualquer possibilidade de ligação com intenções eleitorais.Concordando absolutamente com a homenagem feita a António Caruna, e concordando com a melhoria agora efectuada naquele espaço, não deixo de interpretar a situação da forma que já escrevi.Alguém escrevia com algum humor recentemente" Se estão a alcatroar a tua rua, é porque que vai haver eleição autárquicas..."
Cumprimentos