segunda-feira, janeiro 05, 2015

Sintra com alerta amarelo até Quinta-feira

vilanevePassaporte Antónioarqcml1945.jpg
Memória:Vila Velha sob nevão em 1945 - foto de António Passaporte


Sintra mantém alerta amarelo devido a baixas temperaturas até Quinta feira


A Protecção Civil de Sintra mantém o alerta amarelo devido à persistência de valores baixos de temperaturas que se vão sentir até ao próximo dia 8 de Janeiro, com maior ênfase no período noturno.
O Plano de Contingência Municipal para as Temperaturas Extremas Adversas (PCMTEA), nível amarelo, foi acionado no dia 29 de Dezembro e mantém-se até dia 8 de Janeiro. 
Face a estas previsões, e com particular atenção à situação de grupos populacionais mais vulneráveis como crianças, idosos, pessoas portadoras de patologias crónicas e indivíduos sem abrigo, a Câmara Municipal de Sintra garantirá o acompanhamento permanente da situação. 
Recomenda-se a todos os cidadãos a adopção das seguintes medidas: 
1 - Que se evite a exposição prolongada ao frio e as mudanças bruscas de temperatura; 
2 - o uso de várias camadas de roupa, folgada e adaptada à temperatura ambiente; 
3 - a protecção das extremidades do corpo (usando luvas, gorro, meias quentes e cachecol); 
4 - A ingestão de sopas e bebidas quentes, evitando o álcool que proporciona uma falsa sensação de calor; 
5 - Especial atenção com a protecção em termos de vestuário por parte de trabalhadores que exerçam a sua atividade no exterior, e evitar esforços excessivos resultantes dessa atividade.
O Serviço Municipal de Proteção Civil recomenda ainda: 
1 - Especial atenção aos aquecimentos com combustão (ex. braseiras e lareiras), que podem causar intoxicação e levar à morte; 
2 - Que se assegure uma adequada ventilação das habitações, quando não for possivel evitar o uso de braseiras ou lareiras; 
3 - Que se evite o uso de dispositivos de aquecimento durante o sono, desligando sempre quaisquer aparelhos antes de se deitar; 
4 - Que se tenha em atenção a condução em locais susceptíveis de formação de gelo na estrada, adoptando uma condução defensiva; 
5 - Especial atenção por parte das famílias e vizinhos, e das redes de proximidade, com as situações de pessoas idosas e em condição de maior isolamento. 
O acionamento deste nível de alerta permite o envolvimento de todos os serviços municipais que podem dar resposta a carências da população mais desfavorecida, e que mais sofre com estes fenómenos, estando disponível, se necessário, abrigos para acolher aqueles que se encontrem em situação que não os permita proteger destes fenómenos extremos. 
São acionados os serviços sociais municipais, assim como os serviços que podem garantir instalações para a criação de abrigos, os serviços municipais de Segurança e Saúde no trabalho, para acompanharem daqueles, que mesmo nestas situações deverão continuar em funções e a desenvolver as suas atividades, e a nível supramunicipal as forças de segurança (GNR e PSP), a Segurança Social e a Autoridade de Saúde que asseguram a coordenação nestas situações com as unidades de saúde e a prestação dos cuidados em situação de temperaturas extremas.
Fonte :CMS

 
 

2 comentários:

Carlos José dos Santos disse...

Desejo a todos os que por aqui passam um óptimo 2015.
Hoje e também a respeito do tempo, meditava eu, que no meio desta estiagem toda,e destes dias bonitos que temos tido, pese embora o frio, vamos amargar isto.
Pensando eu que os meses que se avisinham vão ser de muita chuva, prolongando-se eventualmente Primavera adentro.
Por outro lado, não acredito que ainda volte a passar por outro nevão em Sintra, como aquele que passei, não em 1945, porque ainda não era nascido, mas mais tarde salvo erro em 1954, tinha eu 7 anos, mas recordo-me bem disso.
Há passagens desse dia que nunca mais vou esquecer, como ter escorregado no gelo junto à bola de pedra, no início do Paço da Vila e ir a deslizar até debaixo de uma carrinha pão de forma, que por sorte também ficou a patinar no gelo, e de um grande boneco feito de neve no largo do Paço, com todos os pormenores.

pedro macieira disse...

Caínhas,
Bom Ano Novo!
Interessante as "imagens" descritas por quem viveu na realidade o ambiente e o local da foto de António Passaporte. Ainda tenho esperança de um destes anos poder fotografar um cenário como o de 1954 em Sintra.
Abraço e obrigado pela participação.