quinta-feira, junho 29, 2017

Azenhas do Mar e o Penedo

Azenhas do Mar, ontem mesmo 

Sintra tem duas aldeias candidatas às mais maravilhosas do país. As Azenhas do Mar (na categoria de aldeias do mar) e o Penedo (na categoria aldeias em áreas protegidas) estão na lista das 49 aldeias apuradas, de entre as 322 candidatas selecionadas, numa candidatura submetida pela Câmara de Sintra.
Azenhas do Mar 28/06/2017


As regras para escolher as aldeias mais maravilhosas de Portugal são apertadas. As candidaturas, distribuídas por sete categorias –
aldeias monumento, aldeias de mar, aldeias ribeirinhas, aldeias rurais, aldeias remotas, aldeias autênticas e aldeias em áreas protegidas –, foram enviadas até 14 de março para a organização ‘7 Maravilhas de Portugal’.
Essa votação começará a partir de 3 de julho e, segundo a organização, será feita inteiramente por chamada telefónica. A 20 de agosto, a lista das 14 finalistas ficará fechada. Os portugueses têm, a partir daí, duas semanas para tomar decisões. A 3 de setembro chega o veredicto final: a aldeia que recolher mais número de votos em cada uma das categorias ganha.
Fonte:
http://sintranoticias.pt/2017/04/08/azenhas-do-mar-penedo-aldeias-candidatas-as-7-maravilhas-portugal/
Aldeia do Penedo
Penedo

4 comentários:

Anónimo disse...

Parabens por divulgar o que outras pessoas deviam divulgar se fosse outra aldeia moviam mundos e fundos enfim é os politicos que temos

JAIME CORVO disse...

Deixar o seu comentário


Caro Pedro,
Numa reunião recente da Assembleia de Freguesia, mas não a última, foi dada essa informação aos presentes, o que teve o maior agrado, penso que também extensivo aos habitantes em geral que disso tiveram conhecimento.
Ao que percebi,foi a Câmara Municipal de Sintra que liderou o processo de "candidatura" que incluía, além de Azenhas do Mar e Penedo também a aldeia da Ulgueira, não escolhida para a fase seguinte.
Nessa assembleia percebi também que havia regras para as candidaturas e, vejo agora,regras apertadas.
Na ocasião manifestei estranheza pelo facto da aldeia de Colares, antiga sede da freguesia e do ainda mais antigo concelho do mesmo nome, não ter sido equacionada no processo de candidatura, como se sabe preparado pela Câmara, mas agora depreendo que as regras eram tão, tão apertadas, que a nossa aldeia não conseguiria nunca passar.
Isto apesar de haver 7 categorias, incluindo "aldeias monumento, aldeias rurais, aldeias em área protegida. Colares, aldeia e seu Centro Histórico não têm características que permitissem o seu enquadramento nalguma destas categorias.
De facto, vejamos:
-Não é por si só um monumento, apesar de ter Igreja Paroquial classificada e muito visitada, Igreja da antiga Santa Casa da Misericórdia de Colares com retábulo valioso do Séc. XVI, ruinas que restam do antigo palácio dos Mello e Castro, propriedade da Câmara e há mais de 20 anos ao abandono, Pelourinho Manuelino classificado como Monumento Nacional (e carecido de conservação);
-Também não poderia nunca ser englobada como aldeia do mar ou aldeia ribeirinha, pois não temos praias, nem piscinas, nem ribeiras navegáveis ou com praias fluviais, ou com condições para a prática de desportos radicais; não, apenas temos uma insignificante ribeira, várias linhas de água que a alimentam, provenientes da serra e algumas conspurcadas ou cheias de vegetação por falta de limpeza;
-E aldeia rural? Certamente Colares, aldeia e pequeno aglomerado urbano,também não seria enquadrável nessa categoria. É que isso agora é só para as aldeias do interior, mais ou menos desertificadas, onde os animais domésticos dos poucos habitantes pastam e passeiam livremente por caminhos e terrenos.
-Aqui em Colares, "passeiam" outros animais motorizados às vezes enganados pelo GPS que indicam o melhor itinerário para Cascais atravessando a nossa aldeia e depois o Penedo e às vezes ficam encravados nos estrangulamentos existentes.
-Aldeias autênticas e aldeias remotas? Obviamente não teria aqui cabimento; estamos a poucos quilómetros da Sede do concelho, a 30 de Lisboa e a autenticidade como aldeia será sempre subjectiva;
-Por exclusão de partes, escolhida a aldeia do Espírito Santo, nunca Colares poderia concorrer como aldeia em área protegida.
Apesar de estar em plena área protegida, encostada à zona verde de acesso à serra, com os seus caminhos rurais entre quintas tradicionais muito percorridos por grupos organizados de cidadãos nacionais e estrangeiros apesar da falta de conservação e limpeza.Infelizmente, também os motoqueiros e quejandos descobriram esses caminhos que vão danificando com as suas máquinas infernais, sem respeito pela natureza e pela propriedade pública e privada.
Pedro
Tenhamos esperança que quem de direito olhe para o futuro da nossa terra, Colares, aldeia , centro histórico que faz parte da "reserva" em que nos enfiaram e disponha de alguns trocos das muitas dezenas de milhões disponíveis
para apoiar, motivar, disciplinar, limpar, conservar e, assim, melhorar a qualidade de vida dos residentes e tornar esta aldeia numa sala de visitas da nossa freguesia.
Muito obrigado se puder conceder todo este espaço de desabafo...
Um abraço do Jaime Corvo.

Seleccionar uma identidade

Conta Google
OpenID OpenID LiveJournal Wordpress TypePad AOL
Nome/URL
Nome
JAIME CORVO
URL
(opcional)
Anónimo
Publicar o seu comentário Publicar o seu comentário Pré-visualizar Pré-visualizar

pedro macieira disse...

Caro Jaime Corvo,
Colares, e principalmente o seu centro histórico, não têm tido a divulgação que merecem. A culpa tem sido parece-me a mim dos próprios habitantes que não se apercebem do tesouro que é Colares.A história de um antigo Concelho, está ainda bem presente nas edificações e na preservação da imagem secular - temos sorte, e agora o meu receio é que o boom turístico, possa vir a provocar alguns estragos.
Pessoalmente não considero estes concursos que confrontam locais, com histórias e aspectos culturais diferentes, postos a concorrer, com votações telefónicas, por pessoas que não sabem nada desses locais -mas divulguei, porque para os habitantes destes locais será importante ouvir falar das suas terras.
E agora Colares que vai ter um Hostel, o Eden, que vai também ser reactivado, isso parece-me ser um sinal dos tempos, pena que a Estalagem, e a casa do Frangos tenham encerrado, e o seu espaço esteja por ocupar.Pena que o rio da Maçãs esteja cheio de vegetação por limpar, pena que castelo (que conheci por seu intermédio), e a sua história não esteja disponível para visitas, com guia ou sem guia, que pena que a mansão do comendador, seja agora um monumento ao "mundo" dos poderosos sem lei.Que pena que após o roubo dos dois bustos que ornamentavam o portão da quinta em frente não tenham sido de novo colocados, após terem sido descobertos em Espanha.(assunto que acompanhei de forma muito próxima).Gostei da nova sede da Banda dos Bombeiros Voluntários de Colares,que não pertencem aos Bombeiros de Colares- que parece assim encerrar a estranha e desastrosa história da Banda com as suas sedes.Tive pena que Madona não comprasse a Quinta do Vinagre...um local dos mais importantes de Colares, e talvez uma forma de o preservar, e também de colocar no Mundo Colares.
Obrigado pelo seu comentário.
Abraço
Pedro Macieira

pedro macieira disse...

Caro anónimo,
Obrigado pelo comentário.