terça-feira, junho 27, 2017

Quinta do Pisão na estrada da Lagoa Azul

Mesmo em frente à Barragem do rio da Mula


HISTÓRIA E PATRIMÓNIO
A Quinta do Pisão caracteriza-se por possuir um mosaico de vegetação que ora se estende por prados verdejantes, ora se fecha em copas de árvores frondosas. As diferentes paisagens foram moldadas por séculos de ocupação deste espaço. Na Quinta encontra-se, ainda hoje, a gruta de Porto Covo, onde foram identificados vestígios tanto de uma comunidade do Período Calcolítico como de enterramentos humanos que datam da Idade do Bronze. Durante a Idade Média desenvolveu-se ali o Casal de Porto Covo, existindo no local uma capela dedicada a Nossa Senhora da Conceição e alguns equipamentos de apoio a atividades agrícolas, como estábulos, eiras, fornos e poços. Após anos de abandono, estas pequenas edificações foram alvo de recuperação pela Câmara Municipal de Cascais e estão hoje abertos à visitação. Já durante o século XIX a Quinta recebeu a produção de cal, cuja cozedura tinha um carácter sazonal, realizando-se apenas nos meses quentes e não ultrapassando as três fornadas. Era um ciclo de intenso trabalho, assegurado por pessoas que, no restante ano, dedicavam-se sobretudo à agricultura. Estes fornos também foram alvo de recente intervenção e também podem ser visitados. A partir dos anos 30 do século XX a Quinta do Pisão tornou-se numa colónia agrícola gerida pela Santa Casa da Misericórdia de Cascais, tendo sido criada uma casa de recuperação. Atualmente o espaço é gerido pela Câmara Municipal de Cascais que, além de promover a recuperação das áreas agrícolas e florestais, está a dinamizar a repovoação da fauna e a promover uma maior ligação com a população através das actividades desenvolvidas ao longo do ano.

Texto retirado daqui:
http://www.cm-cascais.pt/equipamento/quinta-do-pisao-parque-de-natureza

Paisagem rara na Serra de Sintra
Capela dedicada a Nossa Senhora da Conceição
Biodiversidade na Quinta do Pisão
Forno de cal
Animais com grande espaço para se movimentarem
Horta
Casa da Cal, Centro de interpretação
*Fotos em 17 de Junho de 2017

Sem comentários: