quinta-feira, julho 26, 2012

Sobre a Orquestra Imperial de Colares

OrquetraImperialblogue Em 30 Outubro de 1955, durante as comemorações do 64º aniversário da Banda do Bombeiros Voluntários de Colares, na "antiga" Sede, "realizou-se um baile abrilhantado pela Orquestra Imperial, que tinha a seguinte composição: Trompete e director de orquestra, Fernando Moreira; nos clarinetes e saxofones, Raimundo Pacheco, António Pinto e João Pantana;no contra-baixo de cordas, José Recto; na viola baixo, Júlio Saraiva; na bateria, Joaquim das Neves, como vocalista José Fernandes (Badajoz).
Nesse espectáculo, inauguraram-se melhoramento no palco e a cortina de cena.
Na terça-feira,1 de Novembro, dia de aniversário, o baile teve a colaboração da Orquestra Musibel, de Alcabideche e novamente a  Orquestra Imperial" - memórias que António Caruna nos deixou no "Cem anos de Cultura e Recreio" da Banda dos Bombeiros Voluntários de Colares 1891-1991.

Também o blogue "Notícias de Colares" lembra outras memórias da Orquestra Imperial de 
Colares:

Em 5 de Abril de 1953, o nº. 1.001 do Jornal de Sintra publicava o seguinte sobre a nossa Freguesia.

Baile da Primavera

O “Baile da Primavera”, anunciado e realizado em Colares no passado domingo, 29, trouxe aborrecimentos alheios à vontade da direcção da Banda e pelos quais esta pede desculpa a todas as pessoas que a acompanharam com simpatia e sem protesto. Foi o caso que a Orquestra Harlem Stars, oferecida por alguém que se intitulava amigo de Colares e da Sociedade, não compareceu, dando assim triste nota da forma como se honra os seus compromissos. Felizmente, a “ Orquestra Imperial”, reunindo à pressa os seus elementos, salvou a situação, tocando até altas horas e tornando em boa disposição o nervosismo que se apoderara de todos. De pé, fica porém o “assunto dos prejuízos”, entre os quais o do lanche finíssimo preparado para os visitantes, que não compareceram. E nós perguntamos: de quem foi a culpa?
Hoje, domingo de Páscoa, mais um baile com o “Imperial” para alegria dos Colarenses.


3 comentários:

Flor disse...

Olá Pedro, obrigada por teres passado no meu "Café" e teres dito que tinhas mudado o fundo do teu blogue. Ficou muito bem, está sobrio e harmonioso.
Eu de vez em quando mudo os meus.

Não estás no facebook?

Adoro Sintra!

Um abraço.

Carlos José Santos disse...

Com os nomes voltaram à memória o nome do sr. Pantana, e a confirmação do Quim na Bateria, que bem visto e revisto, estão lá os traços todos, mas ainda um Quim muito novo.
Já agora, e se não levar a mal, onde se lê, viola baixo Júlio Saraiva, deverá ler-se, trombone Júlio Saraiva. Era o instrumento que ele tocava efectivamente.

R.Martins disse...

Já agora mais uma achega,fiz umas diligências junto de algumas pessoas mas não consegui descobrir o nome do Sr. do contra-baixo de
cordas(rebecão?),o meu Tio José Recto foi substituir o mesmo Sr.na orquestra,mas mais tarde.
Abraço !
R.M.