domingo, novembro 17, 2013

Linha de Sintra/Azambuja - Alteração Temporária de Material Circulante (actualizado)



Actualização via blog "Tudo Sobre Sintra" e Público:
"A CP justifica esta mudança por falta de material circulante, mas garante que os horários serão os mesmos, não havendo alterações significativas na oferta. O PÚBLICO apurou que na origem desta escassez de material estão problemas anormais identificados nos rodados dos comboios que compõem a frota da linha de Sintra (séries 2300 e 2400) e que têm levado à sua crescente imobilização em oficina."(Notícia integral no Público online)

2 comentários:

Carlos José dos Santos disse...

Esta coisa de mudar de material circulante, assim do pé para a mão, cheira-me sempre que alguém está metendo a mão no meu bolso.
Quem não se lembra dos primeiros combóios elétricos feitos na Sorefame/Amadora, que eram feitos em aço inox, e duraram uma vida, até terem acabado com eles e com a Sorefame, que era uma escola de Artes e Ofícios.
Mas adiante, vieram combóios feitos fora, e foram substituindo os antigos.
Certo! As coisas não duram eternamente.
Quem não se recorda de algo semelhante, com a TAP?
Estava sempre de pantanas e a comprar aviões como quem compra um chupa-chupa.
A CP, apresenta resultados negativos assustadores, e comprar material circulante novo, quando manda encerrar linhas por esse país fora, abandona populações, cujo meio de transporte é únicamente o combóio, votando-os ao ostracismo, porque tem que cortar nas despesas!?...
Não fico muito felíz com a notícia.
Quem não gosta de ter um carro novo?
Mas, não me cheira lá muito bem este tipo de operação.
Fico sempre com a idéia daquela atitude bem portuguesa, dos senhores responsáveis;
- Quanto é que toca cá para o meu lado? Qual é a comissão?

Anónimo disse...

Governo aprovou investimento
CP já pode lançar concurso para material circulante
Os Ministérios das Obras Públicas, Transportes e Comunicações e das Finanças, aprovaram, através de um despacho conjunto, o Concurso para a Aquisição de Material Circulante no horizonte 2009-2013 da CP – Caminhos de Ferros Portugueses, EPE. Para o período em questão serão adquiridas 74 unidades de material circulante, no valor de 370 milhões de euros. O plano de investimentos compreende 25 automotoras para serviço Regional no valor de 125 milhões de Euros; 36 Unidades Múltiplas Eléctricas Bi-Tensão para o serviço Urbano da Linha de Cascais no valor de 180 milhões de Euros; oito Unidades Múltiplas Eléctricas para Urbano do Porto no valor de 40 milhões de Euros; cinco Unidades Múltiplas Eléctricas para a Linha do Sado no valor de 25 milhões de Euros. Em opção está considerada ainda a aquisição de mais 28 unidades no valor total de 140 milhões de euros, incluindo oito Unidades Múltiplas Eléctricas para urbano do Porto no valor de 40 milhões de Euros (necessárias para fazer face à previsível evolução da procura naquela Região), 15 Unidades Múltiplas Eléctricas para o serviço urbano de Lisboa no valor de 75 milhões de Euros (face ao previsível crescimento da procura na Região de Lisboa, nomeadamente pela construção de novas infra-estruturas e aumento de capacidade das mesmas), cinco Unidades Múltiplas Diesel para serviço de Longo Curso num valor previsto de 25 milhões de Euros, para fazer face ao crescimento o serviço e à estratégia de substituição de unidades de locomotiva e carruagem, por automotoras.
por: Carlos Moura