segunda-feira, novembro 11, 2013

Sobre o Hotel Netto da Vila Velha de Sintra

Desde há bastante tempo, temos alertado para a degradação  em que se encontrava o imóvel do Hotel Netto em Sintra, uma nódoa na zona histórica , localizado junto ao monumento mais visitado -  o Palácio Nacional de Sintra. Chegam-nos agora boas notícias de que foi enfim, encontrada uma solução:

Hotel Netto será transformado em Hostel

Segundo notícia publicada no Jornal de Sintra, João Cachado indica que o hotel Netto se prepara para passar para a gestão da Parques de Sintra – Monte da Lua (PSML).

Notícia via blog Caminhando por Sintra


In Guia do Viajante 1907


Notas sobre o Hotel Netto

"A ocupação humana da propriedade do antigo Hotel Netto encontra-se intimamente ligada ao contexto histórico da denominada Vila velha de Sintra. Por um lado, conhecem-se algumas fontes escritas e iconográficas que se referem à unidade hoteleira propriamente dita e aos seus proprietários. Por outro, a ausência de alusões directas ao espaço anteriores ao século XIX poderá indiciar a presença de uma zona sem construções no limite setentrional do centro urbano.
As primeiras informações que temos a respeito do Hotel Netto, enquanto tal, aparecem, no "Relatório das águas do Almoxarifado de Cintra", elaborado por J.A. Abreu Victal, por volta de 1900, no qual aparece referido que " a casa onde está este hotel pertenceu a António Lopes Ferreira dos Anjos, que tinha a concessão de água desde 6 de Agosto de 1875".(Sabugosa, 1989-90,p.247,249).
Sabe-se igualmente que nos finais da século XIX, concretamente a 3 de Setembro de 1898, o hotel já se encontrava em actividade uma vez que uma notícia publicada no jornal Correio de Cintra dá conta de que ali terá ocorrido um incêndio"(...) devido ao descuido de uma criada que engomava. Foi extinto pelo pessoal com o auxilio dos bombeiros. Notou-se a falta de água em todas as bocas de incêndio..." (Azevedo, 1998 p.366). Mais tarde, em 1925, também numa publicação periódica sintrense (o jornal O Grilo) se faz referência a dois proprietários do Hotel Netto - Romão Garcia Vinhas e José Lopes Alves - ambos de origem galega, tendo o segundo tomado posse do imóvel por falecimento do primeiro (Azevedo 1988.p.386).
Tais referências ilustram a duração da actividade desta unidade hoteleira, visto que não foi possivel apurar ao certo a data em que o Hotel Netto começou a laborar. Ainda na década de 1970 aqui se hospedavam os visitantes que permaneciam em Sintra, destancando-se a presença do escritor Ferreira de Castro que  dedicava  ao Hotel Netto a sua preferência.(...)"

Intervenção Arqueológica no Hotel Netto/Contributos para o estudo da evolução urbana da Vila velha de Sintra/Catarina Coelho.
do Museu Arqueológico de São Miguel de Odrinhas.

 foto da chegada ao Hotel Netto em Sintra, em 1941, de refugiados judeus que Portugal recebeu durante a 2ª guerra, e distribuiu por Sintra, Estoril, Cascais, Caldas da Rainha, Buçaco, Curia, Foz do Arelho e Figueira da Foz/.Foto blog Beijo da terra

O "Jornal de Sintra "de 1 de Agosto de 1937,publicava sobre o Hotel Netto, uma notícia bastante elogiosa, sobre o conforto que apresentava nessa altura, após mudança de gerência."Nestes melhoramentos andou o fino gosto do arquitecto, nosso amigo Sr. Norte Júnior que mais uma vez não deixou os seus honrosos créditos por mãos alheias." E mais à frente salientava o cronista: "A par de das dezenas e dezenas de quartos e dos chics «appartments», de janelas rasgadas olhando a luxuriante Serra de Sintra, os prados e vergeis, o mar e a maneira bizarra das povoações limítrofes e por aí fora até ao Convento de Mafra, tudo no Hotel Netto constitui o que se chama uma dulcificante paragem do bem-estar e da saúde que muitos sanatórios portugueses invejariam".

1 comentário:

Carlos José dos Santos disse...

Os Lopes Alves que eu conheci, era a família dona do Hotel Nunes.