sábado, novembro 23, 2013

Porque hoje é Sábado...

"Antes celta que grego mas em qualquer caso português”
 Paulo Portas



Chefe Celta

"Areia para os olhos
A propósito da proeza da Irlanda, que decidiu prescindir do programa cautelar no final do ajustamento, o primeiro-ministro de Portugal brindou-nos com um exercício de comparação que mais não foi que uma tentativa de lançar areia para os olhos. Afirmando que " a Irlanda fez um esforço superior ao de Portugal", citou como exemplo a redução dos salários da Função Pública, precisando que naquele país, ela foi de 14% (em termos  de salário médio) , ao passo que em Portugal será, já contando com este Orçamento de "apenas" 9,3%.

Convém esclarecer que o salário médio da Função Pública na Irlanda é de 3687 euros por mês (921.99 por semana), enquanto em Portugal é de 1404.3 euros (base média mensal). E, note-se que o custo de vida na Irlanda não é muito superior ao de Portugal.

Na mesma linha, o ex-lider do PSD Marques Mendes declarou que "na Irlanda o programa foi mais duro do que em Portugal", e lembrou que aquele país baixou o salário mínimo, ao passo que Portugal não o fez. Ora há que lembrar que o salário mínimo na Irlanda é de 1283 euros (já com o corte) ao passo que em Portugal está congelado nos míseros 485 euros."

Palavras para quê? são ´malabaristas´ portugueses...

José Rodrigues/Editor de politica e economia do Correio da Manhã/18-11-2013

2 comentários:

Carlos José dos Santos disse...

Estes políticos da treta, vêm sempre tentar tapar o sol com a peneira, com estas estatísticas, do tipo somos dois comemos um frango, há um que não gosta e nem comeu, estatísticamente calhou 1/2frango a cada um.
Vão dar uma curva.
Não dão muita publicidade ao que disseram alguns portugueses que trabalham na Irlanda, e de diversas profissões, alguns até licenciados, que afirmam que nada tem a ver o modo de vida de cada um destes países de tão diferenciados que são. No caso da Irlanda e para nosso mal, nós estivemos sempre muito pior, e continuamos, porque lá os políticos não são tão corruptos como os de cá! Não é uma questão de povo, é uma questão de quem governa esse povo.

pedro macieira disse...

Caínhas,
Um grupo de mentirosos a "governar" um país que aceita como verdades o que lhe dizem..que fazer??
Abraço