sexta-feira, julho 27, 2007

A Mansão de Colares e o Juiz do Tribunal Administrativo e Fiscal de Sintra

O "Jornal Público", de hoje em artigo da autoria de José António Cerejo, informa que o processo de demolição de parte da mansão do comendador Justino em Colares, foi suspensa por um Juiz do Tribunal Administrativo e Fiscal de Sintra, fundamentando-se no facto de estar pendente na CMS um projecto em que é pedida a legalização das obras...

-O porta-voz da CMS, considerou segundo o Jornal Público que “que a decisão do parque (PNSC), sendo vinculativa e inapelável, dispensava a câmara de uma decisão final sobre o projecto de alterações.”
Qual será o próximo episódio da “Mansão do Comendador”?

1ª hipótese-A Câmara Municipal de Sintra toma posição?
2ª hipótese- A direcção do PNSC , é demitida?
3ª hipótese-O ministro do ambiente é vítima da próxima remodelação governo?
4ªhipótese- Uma grande festa de inauguração da Mansão do Comendador com convites às forças vivas da região?

Memórias recentes

Desapareceu ofício sobre palacete de antigo Presidente de Sintra Desapareceu um pedido de orientação remetido em 2004 pelo Parque Natural Sintra-Cascais (PNSC) à Secretaria de Estado do Ambiente e que solicitava indicações sobre a tentativa de legalização de um palacete construído em Colares pelo antigo Presidente da Câmara de Sintra, João Justino.( Segunda-feira, 12 de junho de 2006 ) in Alvor de Sintra

Jornal Público de 16/01/2007

« Cumpridas todas as formalidades legais prévias, Nunes Correia (Ministro do Ambiente), deu agora o último passo, concedendo ao dono do prédio 120 dias para cumprir a ordem de demolição.Caso contrário, avançará o PNSC, que o fará "a expensas do proprietário procedendo, se necessário, à tomada de posse administrativa do imóvel enquanto medida de tutela da legalidade urbanística."»

Afirmações do Ministro do ambiente na SIC em 15 de Novembro de 2006


Post relacionados:
-A Mansão do Comendador-pressionar
-A SIC esteve cá-pressionar
-A Mansão do comendador,o IPPAR,o PNSC,o ICN,a CMS e o Estado de Direito-pressionar




3 comentários:

Zé-Viajante disse...

O mais provável - e a Vergonha é coisa do passado - é haver a Grande Festa. E até adivinho a lista de convidados-comendadores.

pedro macieira disse...

Este lamentável e longo processo, permitiu o "nascimento" de uma enorme “ mansão” em plena serra de Sintra, zona do Parque Nacional, e portanto zona protegida, com as entidades responsáveis por aplicar a lei,a assobiarem para o ar.Irá terminar como parece depois mais uns recursos na "Grande Festa",e com muitos convidados todos eles defensores escrupulosos do tal "Estado de Direito".
Mais uma vez se prova que para alguns é mais fácil construir uma "mansão" com sob embargo camarário, nas barbas do PNSC, do que cortar alguns pinheiros na zona protegida do Parque Natural Sintra Cascais....

carlos disse...

Pior mesmo é a M do Tribunal de Sintra. Esse só mesmo demolindo. A Mansão, não valendo um C pode sempre ser embrulhada em vegetação de forma a que nenhuma perspectiva ou ponto de vista ou aproximação fosse esquecida.