terça-feira, julho 03, 2007

O regresso de Alfredo keil a Colares

A Vila Guida na Praia das Maçãs

Depois de notícias da instalação de um Museu com o espólio de Alfredo Keil em Torres Novas, após 21 anos de tentativas infrutíferas da família, para o deixar ficar em Sintra, onde viveu, e que seria o local certo para a sua instalação,( talvez substituindo o actual Museu de Arte Moderna do Comendador Berardo,no Casino de Sintra, agora que a colecção principal está instalada no CCB),surge agora o anúncio de uma exposição patrocinada pela Câmara Municipal de Sintra -"Alfredo Keil em Sintra – 100 anos depois" que será inaugurada no próximo dia 5 de Junho-comemorando o centenário da sua morte, acontecida em 4 de Outubro de 1907 em Hamburgo.
Casal da Serrana , casa onde viveu Alfredo keil na Eugaria, perto de Colares no traço mágico do amigo Pedro Cabral, do excelente blogue Bonecos de bolso.


Esta exposição irá acontecer no espaço da Adega Visconde de Salreu, em Colares a partir do dia 5 de Junho ,pelas 17H00 até 7 de Outubro, no seguinte horário: de terça a quinta-feira e domingo, das 11H00 às 19H00; sexta-feira e sábado, das 10H00 às 23H00. Encerra à segunda-feira.

Alfredo keil , foi um ilústre habitante da nossa região, o terceiro edificador do lugar de Nossa Senhora da Praia, hoje Praia das Maçãs, onde erigiu em 1890 um chalé, “Vila Guida”e uma pequena ermida. Iniciou ali naquele local, em 1893, uma manifestação de carácter religioso que se denomina “Círio de Nossa Senhora da Praia”.

Além da Praia das Maçãs Alfredo Keil autor da música da “Portuguesa”,e pintor com uma vasta obra, viveu no lugar da Eugaria, no Casal da Serrana, e fez parte do círculo intelectual e mundano que se reunia em Colares ,no Eden Hotel, e na Villa Costa, com figuras de relevo como a familia Costa, Chaves Mazziotti-proprietário da Quinta Mazziotti e deputado pelo partido Progressista,o pintor Veloso Salgado , Marquesa de Val Flôr,Conde de Sabugosa, o Conde de Valenças,etc.

Alfredo Keil também costumava passar algum tempo em Ferreira de Zêzere, na antiga Estalagem dos Vales, e que segundo alguns autores, seria ali que teria composto a Portuguesa” e não na Vila Guida na Praia das Maçãs , como também é referenciado, e também a “Serrana”, a primeira ópera com libreto em português.

Post relacionado:

-Sintra deixou fugir o Museu de Alfredo Keil para Torres Novas-pressionar


3 comentários:

wicky disse...

talvez que agora , Alfredo Keil pudesse executar um requiem por Sintra, pelo IC 19 e por tudo o que aqui não é feito

greentea disse...

hoje estou muda e queda - algo que nauseia o estomago, a cabeça, me tolhe a voz....pelos ouvidos só me entra o som das motoserras e das escavadoras na destruição das árvores e de tudo o que verdejava ainda ...

pedro macieira disse...

Wicky, greentea;
Embora alfredo keil não tenha nada a ver com o IC19, mas sómente com a antiga estrada de Sintra, e também com a estrada de Sintra para a Praia das Maçãs , hoje o caos que todos vivemos nas deslocações para e de Lisboa para Sintra (ou qualquer outro ponto, que tenha que utilizar a via mais congestionada da Europa), é um drama que afectou gerações,pois pelo menos nos últimos 40 anos ouvimos falar de vias alternativas, que nunca foram construídas.
Porque deixei um longo comentário sobre este tema no "Fases da Lua Cheia), e embora um pouco longo é o minimo que se pode dizer sobre o IC19,volto a trancrevê-lo:

O IC19,(antiga estrada de Sintra )tem sido um factor de estrangulamento do concelho de Sintra nos últimos 40 anos, tem havido muitas promessas de criar vias alternativas, nunca realizadas,a Reboleira, primeiro, o Cacém depois, e mais recentemente as Mercês, grandes núcleos habitacionais(dormitórios) caóticos,aumentaram o números de pessoas que todas as manhãs, utilizam todos os meios para chegar a Lisboa (ou obrigados a passar por Lisboa) criando o espectáculo de todos conhecido das longas filas,e o pára arranca, que faz do IC19 a via mais congestionada da Europa.

Culpados há muitos, quase todos a viverem fora do Concelho de Sintra...
Hoje o alargamento tardio está a chegar a Sintra, a desertificação provocado pelas obras, e pelos muros de betão é preocupante, pois altera o equilibrio ecológico de uma grande zona.Criando um aumento de temperatura na própria via, derivado também ao enorme fluxo de trânsito que utiliza aquele percurso a qualquer hora do dia.
O problema das acessibilidades do concelho começa dentro das próprias localidades no acesso á via congestionada do IC19, é necessário que estes autarcas de Sintra que moram em Lisboa, resolvam rápidamente o problema das vias alternativas, e que sejam sensíveis á necessidade de criar zonas verdes, ao longo deste malfadado percurso.
A petição que está a circular a pedir reflorestação, da zona do IC19 é uma medida que pode chamar a atenção sobre o assunto.mas não basta é necessário "martelar" diáriamente, de forma que estes alertas façam algum efeito.
Um abraço