sexta-feira, fevereiro 29, 2008

Públicas impunidades Sintrenses

A mansão ilegal do comendador, no Parque Natural Sintra-Cascais

Sem mais comentários, aqui ficam as últimas páginas publicadas no Jornal "Público", sobre as impunidades reinantes cá no burgo, praticadas sempre pela mesma pessoa (ex-autarca Sintrense).Curiosamente, pessoa que tem contactos frequentes com o Presidente da Autarquia Sintrense, em actos oficiais e empresariais.
Jornal "Público" de 27 de Julho 2007

Jornal "Público" de 24 de Outubro 2007

Jornal "Público" de 28 de Fevereiro de 2008 (pressionar imagem para ampliar)

Quem fica a falar sózinho...ou talvez não.

O Presidente da Autarquia, que "fiscaliza" e embarga...mas as obras ficam. (foto encontrada- aqui)


Ministro do Ambiente- notícia na SIC em 15 de Novembro de 2006 :
« Cumpridas todas as formalidades legais prévias, Nunes Correia (Ministro do Ambiente), deu agora o último passo, concedendo ao dono do prédio 120 dias para cumprir a ordem de demolição.Caso contrário, avançará o PNSC, que o fará "a expensas do proprietário procedendo, se necessário, à tomada de posse administrativa do imóvel enquanto medida de tutela da legalidade urbanística."»
Posts relacionados:
-Ricas impunidades em Colares-pressionar
-A Mansão de Colares e o Juiz do Tribunal Administrativo e Fiscal de Sintra -pressionar
-A mansão do Comendador e a Câmara Municipal de Sintra -pressionar





2 comentários:

baraodalapa disse...

Este Presidente da Cãmara de Sintra é um idiota chapado, incapaz de articular uma ideia com pés e cabeça. O homem, aliás,nunca pensou ser eleito da primeira vez, contra Edite Estrela, e sei que equacionou a hipótese de renunciar ao cargo, porque não lhe convinha à sua vida profissional.Sete anos depois, confirma-se que o homem é uma nulidade, sem ideias e sem rasgo. Sintra precisa de alguém diferente, melhor e mais capaz. Será que para o ano aparecerá alguém para tirar o concelho da vil tristeza em que o puseram?

pedro macieira disse...

A autarquia de Sintra o maior Concelho do País, merecia que as pessoas que são eleitas para a sua gestão, tivessem o(s) cargo(s) como ocupação principal, e um verdadeiro interesse para o cargo para que são eleitos.Infelizmente assim não acontece.E o resultado é o combate jurídico contra a REN que teve que ser liderado por uma Junta de Freguesia por total falta de resposta da CMS. E estes casos insólitos que publico hoje em que um ex-autarca, eleito pelas listas do mesmo partido de Fernando Seara,( e que foi obrigado a abandonar a presidência da autarquia Sintrense), cometa todas estas ilegalidades à vista de todos,e continue a ser recebido e a receber Fernando Seara como fosse um bom cidadão repeitador das regras que todos os outros cidadãos
são obrigados a cumprir.
É Portugal no seu melhor.
Um abraço