sexta-feira, outubro 09, 2009

Obama, Prémio Nobel da Paz 2009

O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, foi distinguido hoje com o Nobel da Paz 2009, pelo Instituto Nobel da Noruega em Oslo.
Prémio merecido, para um  homem que se tornou uma real esperança para  um mundo cheio de conflitos.

Um vídeo da campanha  para as presidenciais de 2008, como uma pequena homenagem.



Comentário de José Saramago, sobre a atribuição do Nobel da Paz a Barack Obama -aqui

12 comentários:

baraodalapa disse...

Obrigado, caro Pedro, por assinalar no seu blogue o Nobel para o Presidente Obama. O texto de Saramago é notável e diz tudo o que se poderia dizer neste momento de jùbilo.O que falta assinalar é o estardalhaço das direitas de todo o mundo,estúpidas como são, a esgrimir comentários imbecis.Como a cavaquiara ferranha, a inenarrável Maria João Avillez, que disse mais asneiras do que aquelas a que habitualmente tem direito na t.v. do Estado.Mas enfim, as caravanas passam
Abraços

Anónimo disse...

Torno minhas as palavras que li num blog:
"Hoje, assinala-se o Dia Mundial contra a Pena de Morte.
Ontem, foi entregue o Prémio Nobel da Paz a um presidente que tem instituído no seu país a pena capital.
Mundo estranho este.
Ou não tem nada a ver?"
http://escolheoutro.blogs.sapo.pt/

Anónimo disse...

já por aí li: «Há um pormenor intrigante em tudo isto: Obama tomou posse a 20 de Janeiro; o prazo para entrega de candidaturas ao Nobel da Paz terminou a 1 de Fevereiro.»
um Nobel recebe-se pelo que se faz, o Obama, fez... em 10 meses?

pedro macieira disse...

Baraodalapa,
As criticas à atribuição do Nobel da Paz a Obama, vem dos que como Pacheco Pereira e a fanática cavaquista Maria João Avilez, apoiaram Guantanamo, a Invasão do Iraque e o seu mentor Bush...
Está tudo dito.
Um abraço

pedro macieira disse...

Anónimo,
A eleição de Barack Obama como Presidente do Estados Unidos, foi celebrada por todo o mundo por aqueles que se opunham ás politicas agressores e invasoras e desrespeitadoras do direito internacional de Bush.
Obama, tornou-se a esperança de tornar o mundo um sitio mais pacifico, propondo-se fechar a vergonhosa prisão de Guantanamo, retirar do Iraque invadido, relançar os planos de Paz palestino/israelita, assinar o protocolo de Kyoto....
São só alguns exemplos da diferença desta liderança no plano internacional- no plano interno a proposta de criação de um sistema de saude, que como deve saber é inexistente nos Estados Unidos que irá abranger milhões de americanos que hoje não tem acesso a cuidados de saude, a nova politica sobre as células estaminais suspena por Bush,etc.
A atitude de Obama face à crise económica, gerada pela ganância e incentivada pela politicas neoliberais defendidas pelo seu antecessor.
Barack Hussein Obama nasceu em Honolulu em 1960, de pai Indónesio e mãe branca, e nessa altura o direito americano já tinha instituido há muitos anos a pena de morte em alguns estados.

Como, comentou ele foi eleito há pouco tempo, e portanto não era esperado que mudasse a estrutura legal/constitucional do País, nem terá poderes totais para isso.

O prémio Nobel terá sido atribuido por tudo o que ja´pretendeu mudar e na esperança de Paz que soube transmitir ao Mundo- sendo ele o primeiro presidente negro dos Estados Unidos, País em que Luther King foi assassinado por defender o direito dos negros, país que ytem organizações como a KLU-KLU-KLAN...e lóbies muito fortes no petróleo, das indústrias de armamento, etc,etc.

Um abraço

Anónimo disse...

Se o Bush não recebesse o Dalai Lama, caía o Carmo e a Trindade. O Obama não recebe o Dalai e ninguém liga ...

Que ele tem carisma tem, mas também muita coisa é só promessa... e do que se lê:

1. Ainda não fechou Guantanamo.
2. Combatentes inimigos continuam a ser sujeitos a procedimentos jurídicos especiais à margem da constituição americana.
3. Autorizou o uso de drones contra a Al Qaeda no Paquistão (o que implica que por cada líder da Al Qaeda morrem uns 5 civis).
4. Manteve a política de Robert Gates para o Iraque.
5. Reforçou a presença no Afeganistão.
6. Autorizou que se atirasse a matar contra piratas.
7. Na questão do aquecimento global ainda não conseguiu fazer nada.
8. Manteve a autorização para a CIA capturar e transportar suspeitos de terrorismo para países pouco amigos dos direitos humanos (as famosas “renditions”).

pedro macieira disse...

Anónimo,
1,2 – O fecho de Guantanamo, é um processo que está activo -.Portugal já recebeu 2 prisioneiros de Bush, que o seu País de origem recusou receber – aqui está um dos problemas que Obama esta´a tentar resolver – e são assunto que não são rápidos. Guantanamo foi utilizada (como sabe está localizada num dos extremo da ilha de Cuba), exactamente porque a legislação americana não podia ser lá aplicada – e dessa forma não só não era obrigado a cumprir as regras estabelecida da convenção de Genebra sobre prisioneiros (pois Bush não os considerava prisioneiros de guerra), como não aplicava a legislação americana , relativamente aos direitos de defesa e julgamento do que aprisionava um pouco por todo o mundo – depois de torturados em locais secretos na libia ou na Polónia...Ora a alteração de legislação, não depende só da vontade do presidente, pois tem que passar pelas várias instâcias do poder legislativo, e os democratas não tem o poder absoluto – é ver o que se passa com o palno de Saude de Obama, que tem tido a oposição dos republicanos...portanto as mudanças terão que levar o seu tempo.

3,4,5- A máquina de Guerra Americana, está instalada desde a invasão, no Iraque, no Paquistão e Afeganistão , - Tudo, incluí o exército, as empresas paramilitares que fazem os serviços sujos, as empresa de segurança. Os empreiteiros que fazem obras de reconstrução,depois dos americanos provocarem as destruições de cidades e de estradas, e todas as empresas americanas de serviços , etc , etc Obama é presidente mas não pode intervir em todo os níveis desta máquina...a indicação da retirada das forças americanas no Iraque foi feita, mas as resistências e os negócios são muitos....no Afeganistão uma guerra há muito perdida, há a colaboração da Nato ( que alterou o seu conceito estratégico, para dar uma ajuda a bush), não me parece possivel alterar de um dia para outro as cadeias de comando...que querem manter os seus “negócios” o mais tempo possivel...mesmo o negócio de venda de armamento.

pedro macieira disse...

Continuação do comentário anterior.

6 – A questão dos piratas...Portugal teve navios, na áreas onde os piratas vindo da costa africana assaltavam e ocupavam navios petroleiros , de transporte de mercadorias, para pedidos de resgates- A marinha portuguesa limitou-se a apreender as armas dos que faziam esse actos de pirataria, porque a legislação portuguesa , a pirataria não existe como crime, não os podiam prender , e assim iam todos contentes de volta aos seus pontos de partida....Ora os americanos que mataram recentemente milhares de inocentes no Iraque com bombardeamentos, os Israelitas que chacinaram milhares de Libaneses, e palestinianos em Gaza, sempre com apoio americano, e apoio com vetos contra sanções na ONU, não poderiam agora essas mesmas forças defender barcos privados dos assaltos de piratas....
7-Bush defendia que primeiro que o Mundo e que o Aquecimento Global, estavam os interesses da América – curiosamente a América é um dos principais poluidores da atmosfera , e um dos maiores contribuintes para o buraco do Ozono-por esse motivo não assinava o protocolo de Kyoto...Obama não pode de um momento para o outro intervir em todas as instâncias internacionais, sem que haja um calendário para essas intervenções, estando de facto neste momento interessado em corrigir estas politicas suicidas de Bush.

8-Se neste momento Guantanamo tem um processo de fecho, estando a “exportar” os prisioneiro que Bush nos aviões secretos da CIA para lá transportaram, não tem grande sentido dizer que o processo de transporte, tortura, e tudo o resto que só um dia se saberá, continua a contecer...porque é que será que as pessoas que durante oito anos aceitaram ou assobiaram para o lado com as tropelias de Bush, estão agora tão criticas e exigentes...

pedro macieira disse...

E para que não fiquem dúvidas:
Declaração de Barack Obama ao agradecer a distinção do Prémio Nóbel da Paza.
Agradece um “incentivo” para aquilo que não conseguiu realizar.mas como “uma afirmação da liderança da América em nome das aspirações partilhadas pelos povos de toadas as nações.
“Recebê-lo-ei como um apelo à acção”.Contra as ameaças que resultam da proliferação nuclear e do terrorismo.para enfrentar o desafio das alterações climáticas.Para “um novo começo entre povos de diferentes raças, de diferentes religiões, assente no interesse mútuo e no mútuo respeito” para mudar as coisas no Médio Oriente.Pela “dignidade a que todoas as pessoas aspiram”.

Como este discurso é diferente dos discursos belicistas de Bush....

Rectificação:
Por lapso escrevi que Barack Obama descendia de pai indónésio, e não de um queniano (filho de um pastor de Cabras) a mãe era branca americana do Kansas - Obama viveu sim quando criança na Indonésia.

Anónimo disse...

E depois de tudo isto só um pais democrata e grande como os EUA (com Bush e todos os outros "maus") poderia ter o Obama. Acho que há um endeusamento dele.

Dylan disse...

O Nobel da Paz tem características diferentes dos restantes prémios atribuídos pela Academia Sueca. Desde logo, é atribuído em Oslo por um comité independente norueguês, laureando alguém ou alguma entidade que se distingue pela capacidade de resolver diplomaticamente diversos problemas, independentemente de ficarem concluídos ou não. Foi assim com Jimmy Carter, é agora assim com Barack Obama. Porque privilegia o diálogo e o bom senso entre os povos, porque ele próprio é o resultado da esperança e do sonho: ter sido o primeiro presidente afro-americano da história dos EUA. Um exemplo do idealismo norte-americano, ainda hoje cobiçado, abraçando causas como os Direitos Humanos e trabalhando internamente para um plano de reforma do sistema de saúde. Com Obama, voltaram as preocupações com o meio ambiente, com o desarmamento nuclear, com a desmobilização do Iraque e com a possibilidade do fim do embargo a Cuba. Apressou-se a condenar o golpe de Estado nas Honduras e a normalizar as relações institucionais com a Rússia, não esquecendo a tentativa de cativar o mundo árabe ao admitir a criação do Estado da Palestina , fundamental para a paz no Médio Oriente.

Negar isto, em menos de nove meses, é cair no discurso dos conservadores norte-americanos e de parte da esquerda europeia, recheada de tiques estalinistas.

http://dylans.blogs.sapo.pt/

pedro macieira disse...

Dylan,
Agradeço o comentário, que assino por baixo.
Parabéns pelo seu blogue "Portugal a pé".
Um abraço