sexta-feira, novembro 19, 2010

O Bailado das Aves

Photobucket
Neste céu cinzento,
Que me envolve
Vejo as aves que planam.

Elas rodopiam,
Sobem,
Descem,
Como num louco carrossel

Em bandos
De ondas,
Num vai e vem, constante
Elas correm...
Como um corcel.

E eu, parado
Olho, observo...
Com o meu olhar de vazio.

E elas, enamoradas
Em duetos, desejados
Escrevem no ar
Passos de dança
Orquestrados...
Em valsas,
Em tangos,
Ou outras danças de voltear

Elas passeiam-se no ar
Perdidas, em abraços
De tanto namorar.

E eu perdido, neste jardim
Já nem me encontro,
Em mim,
De tanto ficar tonto
Destes voares loucos
Que se desprendem de mim.
Em pequenos sonos
De loucos sonhos
Onde passo, tantas vezes
Por ti...

Augusto Gil




Photobucket

4 comentários:

Fatyly disse...

há tantos anos que não lia este poema. E não podias ter feito melhores fotos ficando dois em um. Adorei!

Bom sábado

carol disse...

Que lindas fotos! Como de cotume, diga-se. E muito belo o poema. Não conhecia. Obrigada.

pedro macieira disse...

Obrigado pela visita e comentários.
Abraços

Cristina Marques disse...

Fantástico este bailado das aves no rio das Maçãs.

:) Abraço