sábado, novembro 27, 2010

Porque hoje é Sábado...

Os gatos da minha rua
Photobucket

Photobucket

Photobucket

Vazio
A noite é como um olhar longo e claro de mulher.
Sinto-me só.
Em todas as coisas que me rodeiam
Há um desconhecimento completo da minha infelicidade.
A noite alta me espia pela janela
E eu, desamparado de tudo, desamparado de mim próprio
Olho as coisas em torno
Com um desconhecimento completo das coisas que me rodeiam.
Vago em mim mesmo, sozinho, perdido
Tudo é deserto, minha alma é vazia
E tem o silêncio grave dos templos abandonados.
Eu espio a noite pela janela
Ela tem a quietação maravilhosa do êxtase.
Mas os gatos embaixo me acordam gritando luxúrias
E eu penso que amanhã...
Mas a gata vê na rua um gato preto e grande
E foge do gato cinzento.
Eu espio a noite maravilhosa
Estranha como um olhar de carne.
Vejo na grade o gato cinzento olhando os amores da gata e do gato preto
Perco-me por momentos em antigas aventuras
E volto à alma vazia e silenciosa que não acorda mais
Nem à noite clara e longa como um olhar de mulher
Nem aos gritos luxuriosos dos gatos se amando na rua.

Vinícius de Morais/Rio de Janeiro, 1933

4 comentários:

Cristina Marques disse...

Lindos os gatos da tua rua.
Não conhecia o poema que acompanha as fotos de um modo tão certeiro.

:) Vivam os sábados!

Abraço
CM

Anónimo disse...

Não conhecia.
Vazio é mesmo assim ...
Tocou-me.

Fatyly disse...

Este poema é sempre profundo e tocante.

Quanto aos gatos da tua rua...magestosos e como adoram os capôs dos carros:)

Um abraço e bom fim de semana

carol disse...

Que gatos bem tratados para serem da rua...
Os moradores da rua devem dar-lhes muitos mimos. Ainda bem.
Não conhecia o poema - é à Vinicius.