terça-feira, agosto 09, 2011

Patos de Colares

PatoVarzeaColares08082011b

"Estivemos (...) à beira da ribeira de Colares, numa corrente de ar malcriadamente saudada pelos homens gordos, mas triunfalmente desdenhada pela mulheres magras.
Lisboetas, a Filipa e o Pedro (Ayres) estranharam a neblina e a frescura das quatro da tarde, como se tivessem regressado a uma tarde de Novembro de 2010, agradável.Sobretudo estranharam a altura de água da ribeira por onde os alegres patos de Colares deslizam, soberanos e acarinhados.
O Café da Várzea, ficámos a saber, oferece saquinhos de pão velho a quem pedir. É um acto magnânimo de vizinhança, generosidade e de inteligência. Foi um prazer humilde dar de comer aos patos; dar-lhes nomes; cumprimentá-los até."

Miguel Esteves Cardoso
"A chuva dos patos" (excerto), no Jornal Público de 3 de Agosto de 2011


PatoVarzeaColares2011


* Fotos :patos reais da Várzea de Colares




6 comentários:

viajante disse...

Domingo passado, à espera de atendimento na bomba da BP (careiros, mas a Galp é igual..)lá estavam eles, os patos de Colares. Lindos.

Anónimo disse...

Então e já repararam nos enormes peixes que lá existem?

Fatyly disse...

desconhecia que no café davam, mas vou guardando o pão que sobra e depois vou com as netas ver os nossos amigos:)

e há imensas crias...que pequeninas ainda ficam do outro lado de lá e os maiores já vêem com as mães.

Um cenário que espero que nunca estraguem!

carol disse...

E que lindas as suas fotografias, Pedro! Cheias de cor e de vida!

Parabéns.

Caínhas disse...

Tenho andado um bocado arredio destas lides dos blogues. Estranhamente devia ter todo o tempo do mundo, mas não tenho tido tempo para nada.
Isto para dizer que, precisamente neste dia fui com a minha companheira, ver o fim de tarde à Praia Grande e, na volta, estive a mostrar à minha mulher os patos, e falei-lhe das reportagens que o Pedro lhes tem dedicado ao longo da existência do Blogue.
Nem tudo são más notícias felizmente.

pedro macieira disse...

Obrigado pela visita e comentários.
Abraços