sábado, setembro 20, 2014

Tertúlia "Sintra e a Grande Guerra, em tempo de ideais" na Sala da Folha em Colares

JTertúlia "Sintra e a Grande Guerra, em tempo de ideais" na Sala da Folha em Colares


 O Monumento aos Mortos da Primeira Grande Guerra existente no Jardim da Correnteza em Sintra, é obra do escultor José da Fonseca.

Colecção particular @RiodasMaças

1 comentário:

Carlos José dos Santos disse...

José da Fonseca, foi um ilustre homem de Sintra, deixou obra válida de que ainda continuamos a desfrutar, esse monumento é um deles, e o Chafariz da Câmara em plena Volta do Duche, em estilo Mourisco, é outro, haverá mais, muitos mais, o homem trabalhhou até morrer, eu ainda recordo a sua figura, homem baixo e robusto, poucas falas, mas simpático, sério e honesto, por isso morreu pobre.
A família também morreu pobre, posso dizer que é uma autêntica vergonha, o estado em que está o Jazigo de família logo à entrada a meio da rampa no Cemitério de São Marçal. A sua filha (Jesélia Fonseca) morreu de velha, e já não pode ir para lá, por falta de dinheiro, e do mau estado em que se encontrava e encontra o jazigo.
Isto são coisas do património particular, mas devia de haver alguém que soubesse um bocadinho da história de Sintra, e do quem é quem?, e, honrar a memória dessas pessoas. Digo eu!!!!!
Se calhar até estou errado.