domingo, março 13, 2011

A Avenida da Liberdade

Manif4final

Em várias cidades do país, milhares de pessoas saíram às ruas em manifestações convocadas por internet, através de um manifesto/protesto Geração à Rasca.

Em Lisboa 200 mil pessoas ( de todas as idades), desfilaram pela Avenida da Liberdade até ao Rossio.

Um sinal que deverá ser bem analisado e entendido pelos políticos encartados, e comentadores de serviço.

Dessa grande manifestação, ficam aqui algumas imagens:


Manif9Final

Manif7final

Manif8final

Manif15final

Manifpfinal

Manif13final

Manif22final

Manifp3final

11 comentários:

Dona Sra. Urtigão disse...

Fico tão triste ao ver coisas assim e que poderiam ter sido diferentes...Bastava honestidade e responsabilidade da classe dirigente...Impossível ?

C. Santos disse...

É sem dúvida um aviso!
Mas os políticos Europeus, estão de barriga cheia, estão-se "borrifando", para manif's pacíficas!
Para se tornar incómodo este movimento tem que ser geral, Europeu, e mais frequente.
Os países gordos, Alemanha, França e Inglaterra, querem lá saber de portugueses, gregos e outros países de pé descalço. Bem podemos clamar no deserto que ninguém se interessa, a não ser que lhes toquem nalguma parte sensível.
Há muita imaginação, e uma barriga a dar horas!...

Fatyly disse...

Vi pouco, mas sinceramente não vi estas, porque as que vi...mais pareciam um desfile de carnaval.

Falta "algo" nestas megas manifestações tão paradas!!!!

Anónimo disse...

Uma mega-manifestação ordeira, coerente e integrando várias gerações e classes sociais?
Que mais queriam ver ?
Tantos milhares de pessoas mostrando que estão "à rasca" mas, que sabem ser civilizados, não significa nada?
Fez-me saudades, lembrando-me o 1º de Maio, que poderia ter dado outros frutos, além dos que deu.
sintrense

pedro macieira disse...

Um clima semelhante ao 1º de maio de 1974. Foi isso que também senti ontem 37 anos depois. Sabemos por experiência própria que não será possivel repetir-se este sentimento de unidade por uma causa, nos próximos tempos...infelizmente.
Abraços
Ps -Seria muito bom que estivesse completamente enganado.

Cristina Marques disse...

"Precários nos querem? REBELDES NOS TERÃO"

Excelente Manif, quase quase como no nosso tempo :)

Abraço forte.
Cristina

Anónimo disse...

Obrigada, Pedro, pela excelente reportagem que nos ofereceu.
Também me vieram à memória outros tempos...
ereis

Anónimo disse...

Ora bem.... Esta manifestação provocou que efeitos? Não senti nada: o meu ordenado não subiu, o emprego não baixou, etc, etc,... Eleições antecipadas? Isso já se sabia muito antes desta manifestção.
Pude observar que muita da "malta à rasca" na manifestação fumava, bebia, óculos, roupa e calçado de marca... à rasca? À rasca ando eu que não posso fugir a impostos e vender coisas sem fugir ao IVA. Vejo muita daquela malta no Bairro Alto mas nunca os vi a participar nas Assembleias de Fregusia e reuniões de Câmara... nem os mais velhos que acompanharam os mais novos. Parece-me que preferem as novelas e o futebol... Mas parece-me também já estar a ver o filme: qualquer dia temos os organizadores da manifestação, deputados de um partido de esquerda a ganhar 3500,00 por mês e a luta continua... essa é que é essa!

Anónimo disse...

É só aves agoirentas e Velhos do Restelo :(
Deixem-nos ter um pouco de ilusões, foi um dia bonito :)

(Ninguém esperava resolver nada ontem mas, mostraram que existem que estão vivos !)

Anónimo disse...

Quem criou a precariedade? Quem criou os recibos verdes? Quem é culpado desta instabilidade e insatisfação ?
Estamos à rasca mas a culpa é deles, são eles que têm de tomar medidas para resolverem os problemas.
sintrense

Anónimo disse...

Olá Pedro, foi linda a festa pá...
Também lá estive com a minha préprecária, que ao cabo de seis duros anos de curso(MedVet), agora paga para trabalhar. Eu, já cota, nao sei se vai haver reforma após tantos anos a descontar, tal é o estado a que isto chegou.
Ah, tanta incompetencia(?)criminosa(?)a que nos deixá-mos entregar...

Ao anónimo da 10:00 pergunto aonde estava no 25 de Abril, e se nunca foi jovem? Porque há um tempo para divertir, para trabalhar e até para lutar. Por isso A LUTA PODE SER ALEGRIA.

Um abraço

J. Brás