terça-feira, março 08, 2011

A Cantiga é uma Arma *



Os Homens da Luta, foram os vencedores do 47º Festival RTP , com a canção ‘A Luta é Alegria’ - que ganhou por acumulação entre a votação das capitais de distrito e os votos telefónicos.Com este triunfo, os Homens da Luta vão representar Portugal no Festival da Eurovisão, em Düsseldorf, no próximo mês de Maio .

Outros festivais outras semelhanças

títulodiario-de-lisboa
Em 1972, uma votação dos leitores do Diário de Lisboa levou o José Afonso ao VII Festival Internacional da canção do Rio de Janeiro. Onde cantou 'A Morte Saiu à Rua', (homenagem ao pintor Dias Coelho, assassinado pela PIDE, em 1961, na Rua da Creche, em Alcântara).

capa1

Festival da Eurovisão 1973 - Fernando Tordo - Tourada

Música: Fernando Tordo Letra: Ary dos Santos

Não sendo considerado na época, Fernando Tordo, um cantor de intervenção, a "Tourada", com letra de Ary dos Santos, venceu o Festival RTP,em 1973 e representou Portugal no Festival da Eurovisão desse ano - com uma letra "encriptada",( forma de passar o filtro da censura), não deixou de perturbar os espíritos marcelistas, nos seus últimos tempos de poder.

Créditos
* Cantiga é uma Arma -Título de uma canção interpretada pelo GAC e José Mário Branco
-Capa da Revista R&T -encontrada- aqui

5 comentários:

carol disse...

Esta tem balas de esferovite, para não dizer pior.
Uma vergonha! Uma tristeza! Somos, de facto, uns tristes!

Caínhas disse...

Não consigo misturar música com a política, deve ser por dever de ofício!
A cantiga de intervenção tem o seu lugar, e o seu espaço, mas francamente, se das outras vezes, em que levamos aquilo a sério, é a miséria que se sabe, ninguém nos liga nenhuma. Desta vez vamos ser os bobos da corte.
O Festival da Eurovisão, deixou de ser um desfile de boa música há muitos anos.
Impera a excentricidade, e o espalhafato, ninguém entende a nossa língua, e quando aparecerem aqueles cromos!...

vinho um ritmo de vida disse...

http://sememmartinsnaotivesse.blogspot.com/

pedro macieira disse...

Carol,Caínhas,
A intervenção politica através da música, sempre aconteceu. Acredito que para alguns músicos este "aproveitamento", da sua arte, possa não ser bem aceite – mas reportando-me à música de intervenção, seja Joan Baez, José Afonso ou as Canções Heróicas de Fernando Lopes Graça , todos eles autores da música de intervenção que interpretavam, existe a utilização do meio musical para fazer passar a mensagem politica.
Os Homens da Luta, autores da música que abanou o decadente Festival da Canção, deram com a sua vitória, um safanão para criar uma discussão à volta de uma assunto que nos últimos anos ninguém ligava, e como diz o Caínhas "O Festival da Eurovisão, deixou de ser um desfile de boa música há muitos anos."
Quanto ao resultado será o mesmo das já 44 participações que Portugal já tem no Festival da Eurovisão, sempre na parte final das tabelas dos resultados.

O que mandamos à Merkel, parece para alguns envergonhar o País.Mas nesse aspecto temos muitos que nos antecederam que já obtiveram esse resultado. Pessoalmente considero que a presença do Homens da Luta, ( cuja canção na minha opinião até era a mais inteligente de todas as que estavam a concurso),num momento de grave crise económica e Social na Europa, com a Alemanha à cabeça na “liderança” tentando arrumar com os países com economias mais débeis, resultado de muitas politicas económicas tomadas sobre pressão da mesma Alemanha – é um sinal, uma resposta que poderá ter maior impacto do que muitas idas a Bruxelas...
Abraços

Anónimo disse...

A "cantiga é uma arma", isso a nossa história demonstra-o bem!
Os festivais da canção são uma tristeza, um negócio, etc..
Força Homens lutem por nós!
sintrense