terça-feira, março 19, 2013

Postal triste de Colares

 photo PlatanosColares2013Blogue_zpsd88a73e3.jpg
Várzea de Colares, 18/03/2013

Os Plátanos de Colares estão de novo a ser sujeitos a mais uma intervenção, pensamos da Estradas de Portugal SA. - que devem considerar que as árvores não devem ter ramos. Já mencionado inúmeras vezes, aqui no blogue, quais as consequências deste tipo de "podas" para as próprias  árvores e também para o ambiente local, com a alteração brutal das suas copas.

PlatanosColares2013cBlogue
. Fotos de 18/03/2013     PlatanoColares2013bBlogue

5 comentários:

Graça Sampaio disse...

Logo voltam a crescer... Cá em Leiria aconteceu o mesmo há uns anos e atualmente, lá estão eles, os belos plátanos, grandes e vistosos.

Beijinho

Anónimo disse...

BOLAS!
Se ela não percebe, como queremos que Câmara perceba????

pedro macieira disse...

Graça,
Esta questão dos Plátanos centenários de Colares é muito sensível, porque em 2010, a intervenção da Estradas de Portugal(tendo abatido denecessáriamente, como provámos na altura dois deles) decepou a maior parte dos plátanos centenários de Colares, estas "podas" agressivas tem graves consequências no estado fitossanitário destas árvores. Agora temos uma outra intervenção ainda mais agressiva.
Por outro lado existe o facto deste local ter uma imagem paisagistica em que os altos plátanos são parte integrante -são de facto um património.Foram plantados na altura para fazer sombra à Adega Regional de Colares, porque no seu interior descansava o vinho ramisco em grandes barris.

Ele ,crescem, mas as suas copas serão deformadas, pelos cortes cegos que lhes estão a fazer.Também neste caso os plátanos são árvores urbanas, e as rolagens que estão a ser sujeitos transformam-nos em monstrusidades.
São também estes "tratamentos" que os tornam débeis pelo ataque de fungos, o que depois justifica o seu prematuro abate.
Abraço

daniel borges disse...

depois do que o Pedro Macieira so falta diser que sendo teriveis estes tipos de poda so por si, se realisados como as imagens mostram espoem as arvores a infitracoes e imfestacoes desnecessarias ,provocando apodrecimento interno. prigosas para as arvores e transiontes

pedro macieira disse...

daniel Borges,
OPbrigado pelo seu comentário.Tenho variadas vezes chamado a atenção para as consequências das podas camarárias "rolagens" no estado fitossanitário das árvores.Neste caso de Colares a agressividade da "poda" que os plátanos estão a sofrer vai daqui a um ou dois anos ser justificação para os abater por estarem, como diz com apodrecimento interno.Infelizmente parece ser isso o objectivo da empresa pública Estradas de Portugal S.A. deixa de dispender verbas do seu orçamento para tratamento e preservação das árvores nas estradas da sua tutela.
Sendo a paisagem de Sintra conforme atribuição da UNESCO,património mundial, seria lógico que a autarquia Sintrense não fosse cumplice deste atentado ambiental.
Cumprimentos