quarta-feira, maio 20, 2009

Condessa d'Edla

Amanhã, 21 de Maio passam 80 anos da morte de Elise Hensler, Condessa d´Edla, figura indissociável de Sintra. Para evocar a efeméride, reeditamos um poema de Gomes de Amorim de 1878, a ela dedicado.

Á ILLUSTRISSIMA E EXCELLENTISSIMA SENHORA

CONDESSA D’EDLA

Senhora: Se os colossos da floresta
Aos céus enviam divinaes perfumes,
Tambem o agreste cheiro da giesta
Ousa humilde subir aos pés dos Numes.

Se o sol, que é vida e alma do universo,
Não desdenha aquecer o infimo insecto,
A vós do rude bardo implora o verso
Calor e luz de generoso affecto.
Gota d’agua levada pelo vento;

Modesto aroma d’uma flor caída;
Nem tanto valerá meu pensamento...
Mas inspira-o uma alma agradecida.


Francisco Gomes de Amorim,1878

O Chalet da Condessa, local onde viveu no Parque da Pena em Sintra, e que motivou desde 2006, um largo movimento cívico para o seu restauro.

O jazigo da Condessa, no cemitério dos Prazeres, em Lisboa está encimado por uma répica da Cruz Alta existente no Parque da Pena, da autoria de Raul Lino.(Foto de Ricardo Carvalho)

Sem comentários: