segunda-feira, janeiro 18, 2010

Árvores de Sintra

carvalhodaPena
"No tempo do antigo regente * Carlos de Oliveira Carvalho não se cortava uma árvore sem a sua autorização - Que saudades do velho "Carvalho da Pena!".
José Alfredo da Costa Azevedo, no Jornal de Sintra de 4 de Novembro de 1972

Intervenções Sintrenses

Depois da intervenção da PSML, na Tapada D. Fernando II em 2007, e de Monserrate em 2008 - E das várias intervenções no Linhó de que as fotos que uma leitora do blogue, gentilmente nos enviou, testemunham:

Linhó2009 0114 171319
Linhó 2009

Linhó2010 0108 160505
Linhó 2010
Mais fotos aqui - E mais recentemente a intervenção nas tílias de S.pedro de Sintra.

Fica a grande preocupação sobre o que poderá ainda acontecer aos plátanos de Colares?

Notas:
* "Carlos de Oliveira de Carvalho, falecido em 1939, de quem podemos dizer que foi um continuador da obra de do rei- artista D.Fernando II"

"Durante 28 anos foi regente do Parque da Pena, tendo também a seu cargo a administração da Serra de Sintra"

José Alfredo da Costa Azevedo

13 comentários:

Anónimo disse...

Obrigada Pedro
Pela divulgação do que eu considero ser uma questão ultrapassável. Isto, desde que as pessoas queiram e se interessem pela qualidade de vida das pessoas intimamente ligada à natureza.
O cimento e alcatrão devem ser só o estritamente necessário, as árvores, a paisagem, o mar, enfim a natureza deve ocupar a nossa vida e estar ao alcance dos olhos. É isto viver em pleno!
Florbela

greentea disse...

agora só se vê alcatrão e cimento ... onde estão as arvores da Estrada de Sinttra, agora IC19, onde estão as de Magoito e o pinhal que ia até à praia, o que vai ser do Largo da Feira de Sao Pedro e tantos tantos outros locais , até pela Serra fora se `vê bem o desmatamento ...

pedro macieira disse...

Agradeço os comentários.
Se as denúncias sobre intervenções desajustadas e incompetentes em árvores, que deviam ser protegidas, forem trazidas a público, com maior frequencia - será possivel diminuir danos irreparáveis, e evitar o que frequentemente acontece por estes lados.
Abraços

Carlos Portugal disse...

Caro Pedro:

Tal como sabe, continua o «desmatamento» de grandes árvores junto aos Capuchos e não só. Também aqui por Cascais começaram a cortar. Contudo, para não despertarem a ira dos residentes, como aconteceu há uns anos quando pretenderam abater todas as árvores da Avª 25 de Abril, «limitam-se» a fazer podas radicais, quase exclusivamente das árvores ou ramos que sombreiam a via. Isto está agora a acontecer, por exemplo, na Avª Adelino Amaro da Costa, onde ainda não se atreveram a atacar as árvores de propriedades particulares. Mas, nos terrenos ainda não urbanizados, faz dó ver pinheiros de grande porte «podados» com toda a brutalidade, chegando-lhes a rachar o tronco.

Se, no caso da Serra se poderá pensar - com grande dose de certeza - no roubo da madeira, nestes casos urbanos a explicação será outra. Avançaram-me com a possibilidade - forte - de ser uma medida tendente a implementar o malfadado e inconstitucional chip nas matrículas, que se destinaria, a nível europeu, a seguir todos os veículos por satélite, de maneira a verificar a quilometragem, a aplicar coimas e a cobrar o mais que imbecil «imposto de carbono» (desculpa para mais uma extorsão, pois não vem alterar nada em termos de poluição). Ora os ramos das árvores sobre as estradas impedem essa perseguição aos cidadãos...

E isto passa-se um pouco por todo o País. É confrangedor!

Cumprimentos.

Anónimo disse...

Ainda seria mau demais se a intenção fosse essa ... não dá para acreditar !
Prefiro pensar que é incompetência e ignorância no "tratamento" das NOSSAS arvores ...
sintrense

pedro macieira disse...

Não sei se as intenções que guiam as intervenções tanto da PSML, como da CMS e Estradas de Portugal tem objectivos , que não os que normalmente são utilizados para justificar as intervenções - no caso da Tapada D.Fernando nos Capuchos e em Monserrate, era o combate às infestantes, mesmo sendo essa a justificação cometeram-se na minha opinião excessos irreparáveis.
Agora são centenas de árvores, sujeitas (pelo o que se está já a presenciar)a procedimentos incorrectos que lesam as árvores e também Sintra- O receio maior é agora são os plátanos da alameda de Colares, que já estão marcados desde Dezembro. Esperemos não haver neste caso situações que afectem para sempre aquele rico património.
Abraços

Anónimo disse...

Os plátanos na estrada que vai para Almoçageme já levaram um tratamento "jeitoso" ...
(dão menos nas vistas que os de Colares!!!)
turista

pedro macieira disse...

Tenho acompanhado as podas dos plátanos da estrada de Almoçageme para Colares, e com fotos que tirei em Dezembro, recebi um parecer de um especialista,que me comunicava que os resultados apresentados naquela altura, não permitiam grandes criticas- o problema era a formação que tinha tido a equipa que estava a fazer as podas, que não era a mais adequada para aquele trabalho.

http://riodasmacas.blogspot.com/2010/01/arvores-de-sintra.html

O maior receio é a chegada desta equipa aos centenários plátanos de Colares...

Um abraço

pedro macieira disse...

Tenho acompanhado as podas dos plátanos da estrada de Almoçageme para Colares, e com fotos que tirei em Dezembro, recebi um parecer de um especialista,que me comunicava que os resultados apresentados naquela altura, não permitiam grandes criticas- o problema era a formação que tinha tido a equipa que estava a fazer as podas, que não era a mais adequada para aquele trabalho.

http://riodasmacas.blogspot.com/2010/01/arvores-de-sintra.html

O maior receio é a chegada desta equipa aos centenários plátanos de Colares...

Um abraço

António disse...

O Pedro já reparou na desmatação radical que fizeram na estrada que desce da Casa do Preto para o Morais? Desagradou-me bastante aquele cenário. Várias casas outrora escondidas entre as ramagens estão agora directamente expostas ao trânsito e ruído da estrada. Aquele troço sempre foi uma das portas verdes de Sintra. Devia ter havido mais cuidado.

Anónimo disse...

E, na clareira que foi aberta, para um novo condomínio decerto na estrada da Pr. Grande para Almoçageme? Já há apenas mansões e condomínios, àrvorea quase nenhumas.
Aquela área não é protegida?
(já agora indo de colares p/Almoçagemes, onde os plátanos foram desbastados, há agora bem vísivel, uma quinta para festas que é um espanto !!!- parece para fazer rodeos)....
turista

pedro macieira disse...

António,
Obrigado pelo seu comentário. Essas clareiras em Chão de Meninos é mais uma das barbaridades que Sintra tem sofrido nos últimos tempos ( 2007, com a desflorestação da Tapada D.Fernando II, nos Capuchos e no ano seguinte em Monserrate- e,mais recentemente as tílias de S.pedro).
Houve blogues que divulgaram esses abates, nessa altura, e só não referenciei porque o assunto estava tratado noutro local.

Hoje recebi com admiração um e-mail da Autoridade Nacional Florestal, que me comunica que suspendeu a intervenção prevista para os Plátanos de Colares, o que me parece uma nota de bom senso, numa altura que parecia não haver nenhum.

Um abraço

pedro macieira disse...

Anónimo,

Não tinha conhecimento desse facto que me relata, irei tentar obter informações.
Um abraço