segunda-feira, outubro 11, 2010

Tempo das Vindimas em Colares (IV)

JFBadajoz2
José Fernandes Badajoz foto da Capa do seu LP
A importância do Vinho de Colares no desenvolvimento e na cultura desta região nos últimos 100 anos[1], é notória.
Em prosa e em poesia não faltam referências às vinhas e ao vinho Ramisco, também cantadas por aqueles que conheceram bem estas realidades – é o caso do “Poeta cavador” do Mucifal, José Fernandes Badajoz.

Através de um artigo publicado no "Jornal de Sintra", nº2578 de 24 de Fevereiro de 1984, assinado por Helena Santos, recordamos esta figura do Mucifal:

“José Fernandes Badajoz é uma figura de prestígio na poesia popular portuguesa cantada há quase cinquenta anos.As suas poesias foram parcialmente publicadas no terceiro volume da antologia «Poetas Populares».
(...)
Apesar da escassa publicação de textos e discos do autor, a figura de poeta, cantor e camponês tem estado presente ao longo dos anos, na vida do Mucifal e na animação de aldeias, vilas e cidades do País.
(...)
Cinco canções obtiveram êxito na Rádio nos anos quarenta e continuam a ser cantadas como «O Cavador», «O Rasmisquinho»,«Os Santos Populares» e a «Santa Velhinha».
(...)
O prestígio de José Fernandes está também profundamente enraizado na sua personalidade, tendo vindo a realizar uma opção de vida bastante rara que permite a prática de ideais humanos como a fraternidade, a união com a Natureza, a simplicidade, a paz individual e social possiveis para quem os sabe escolher.(...)”

Helena Santos

[1]considerando só a data em que Colares se tornou Região Demarcada em 1908

O RAMISQUINHO



Outras canções de José Fernandes Badajoz:

-Sintra terra de encantos-aqui
-Bela Vista -aqui
-Azenhas do Mar -aqui

2 comentários:

R.Martins disse...

Parabéns Pedro!Com esta homenagem ao Nosso Poeta,o Sr. terminou realmente em beleza a maravilhosa crónica sobre as Vindimas e o Vinho da Nossa Freguesia!
Um Abraço.
RSM.

pedro macieira disse...

R.Martins,
Obrigado pelo comentário. Foi muito interessante acompanhar estas fases do ciclo do vinho de Colares.
Um abraço