sexta-feira, outubro 29, 2010

Voo Livre

Ontem no rio das Maçãs, na Várzea de Colares os patos-reais, talvez felizes pelo solarengo Outono, esvoaçavam com alguma frequência - permitindo a captação destas imagens:

Photobucket

Photobucket


Photobucket

Patos-reais (Anas platyrhynchos)

Identificação
Os machos adultos têm a cabeça "verde-garrafa" e um anel branco no pescoço. O dorso e o ventre são
acinzentados e o peito é castanho escuro. O espelho alar é azul e o bico é amarelo. As fêmeas tem um
padrão de plumagem, em tons de castanho, sendo semelhante a outras espécies de patos de superfície.
Porém, algumas características como o tamanho, espelho alar, ou cor do bico, podem ajudar a distinguir
esta espécie das outras com alguma segurança. Os juvenis e os adultos em eclipse apresentam algumas
semelhanças com as fêmeas. São ainda fácilmente identificáveis, tanto em voo como pousados, devido às
suas vocalizações, uns muito típicos quá-quá-quá ou quak-quak-quak.

Abundância e calendário
Em Portugal o pato-real é sobretudo uma espécie residente, nidificando, entre Março e Julho, de norte a sul
do país, sendo porém mais abundante nas principais bacias hidrográficas portuguesas e nas barragens e
açudes a sul do rio Tejo. Ocupa praticamente todo o tipo de habitats aquáticos, desde lagoas costeiras,
barragens, açudes e valas de rega até ribeiras, rios, pauis, arrozais, ETAR’s, parques urbanos, etc.,
preferindo essencialmente zonas de águas pouco profundas.

Texto encontrado em Aves de Portugal.com

2 comentários:

Anónimo disse...

Tão bonitas as fotografias, Pedro.
Sugerem-me "anjinhos patos".
ereis

pedro macieira disse...

Emilia,
Mas estes são mesmo reais..e livres!
Um abraço