terça-feira, junho 08, 2010

Plátanos de Colares e a classificação de interesse público

Numa notícia de hoje do Público, a Estradas de Portugal afirma que enquanto o processo de classificação de interesse público dos plátanos junto à Adega Regional de Colares, estiver a decorrer na Autoridade Florestal Nacional, não avança com qualquer intervenção nas árvores.

Photobucket

Classificação de interesse público atrasa intervenção da Estradas de Portugal nos plátanos de Colares

A Estradas de Portugal afirmou ontem que enquanto o processo de classificação de interesse público dos plátanos junto à Adega Regional de Colares, no concelho de Sintra, estiver a decorrer na Autoridade Florestal Nacional, não avança com qualquer intervenção nas árvores.

A Quercus e a Associação Árvores de Portugal afirmaram-se ontem preocupadas com uma "iminente" intervenção nos plátanos junto à adega de Colares, adiantando temerem que os trabalhos possam comprometer a classificação de interesse público do local. A Estradas de Portugal garante que enquanto o processo de classificação de interesse público dos plátanos situados junto à Adega Regional de Colares não estiver concluído, a empresa pública não avança com a intervenção prevista.

"Estes plátanos encontram-se já em processo de classificação de interesse público (...) pelo que a EP não vai intervir sem o consentimento e supervisão da Autoridade Florestal Nacional", garantiu a Estradas de Portugal, em resposta à agência Lusa.

A EP garante que a 19 de Abril, em resposta à Autoridade Florestal Nacional, informou "nada ter a opor quanto à classificação daquelas árvores", advertindo, no entanto, que "algumas delas necessitam de intervenções urgentes".

Em Novembro de 2009 vários moradores de Colares insurgiram-se contra a marcação de plátanos junto à adega regional, efectuada pela Estradas de Portugal, por temerem o abate destas árvores que marcam a paisagem desta vila.

Segundo a EP, a empresa promoveu em 2009, depois de reclamações de moradores, a realização de inspecções técnicas às árvores das estradas nacionais da zona de Colares, com vista a identificar as necessidades de intervenção, tendo realizado ainda diagnósticos mais aprofundados nas árvores situadas junto à adega.

Jornal Público, de 8 de Junho de 2010

Posts relacionados :
Processo de classificação dos plátanos de Colares -aqui
Comunicado conjunto Árvores de Portugal/QUERCUS-aqui

4 comentários:

Anónimo disse...

E não se vai entrar num impasse?
sintrense

Fatyly disse...

O povo não se manifesta quanto às podas das árvores (um bem necessário), mas sim como o modo que ultimamente fizeram que foi de bradar aos ceús!
Neste artigo, não sei porquê e é a minha opinião, deram a volta ao texto para ficarem bem na fotografia de uma zona que é considerada "património mundial"...pararam sim senhora em vários locais pelos argumentos que apresentam, mas não terá sido pelas inúmeras reclamações e baixo-assinado que foram alvo por parte do povo?????

pedro macieira disse...

Existe com esta notícia alguma contradição com o que se vai passar nos Plátanos de Colares, esperemos que nos próximos dias, esta questão fique mais clara.

Mais uma razão para que estejamos atentos, ao que se irá passar.

Abraços

Cristina Marques disse...

Podes contar com o meu protesto. A causa é nobre.

:) Activei os comentários.