terça-feira, dezembro 27, 2011

Vozes do Mar

AdragaDez2011
Mar da Praia da Adraga

Vozes do Mar

Quando o sol vai caindo sob as águas
Num nervoso delíquio d´ouro intenso,
Donde vem essa voz cheia de mágoas
Com que falas à terra, ó mar imenso?

Tu falas de festins, e cavalgadas
De cavaleiros errantes ao luar?
Falas de caravelas encantadas
Que dormem em teu seio a soluçar?

Tens cantos d´epopéias? Tens anseios
D´amarguras? Tu tens também receios,
Ó mar cheio de esperança e majestade?!

Donde vem essa voz, ó mar amigo?…
…Talvez a voz do Portugal antigo,
Chamando por Camões numa saudade!

Florbela Espanca

3 comentários:

Anónimo disse...

Não há Mar mais adequado para personificar este poema. Especialmente com uma foto com esta!
Valha-nos o Mar, os poetas e o P. Macieira para termos um fim de dia com "qualidade de vista".
sintrense

pedro macieira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
pedro macieira disse...

Obrigado pelo simpático comentário. O local (Praia da Adraga) e o seu Mar, funciona de facto como uma forte vitamina, que nos permite enfrentar melhor nosso complicado quotidiano.
Um abraço