quinta-feira, dezembro 30, 2010

Podas e Abates em Colares II

Photobucket
Foto dos Plátanos de Colares em 1938 -"Vinho de Colares" ed. da Adega Regional de Colares

Publicamos hoje a resposta de um técnico inglês da organização "Tree Strategies", http://www.treestrategies.co.uk/ sobre a necessidade de abate de um dos plátanos de Colares - resposta obtida depois da análise das fotos do plátano abatido (A8)e do plátano (A1) considerado em bom estado e os respectivos resistogramas, do estudo do Eng.ºFabião do Instituto Superior de Agricultura - parecer que suporta a intervenção da Estradas de Portugal nos Plátanos de Colares.

Opinião de que fizemos uma pequena referência no post de ontem.

PlatanoA4troncoX
Plátano A4 marcado para abate

Opinião da empresa Tree Strategies
Photobucket

Thank you for your email
I use (very occasionally now) a Digital microProbe (DmP) which is similar to the resistograph in that it measures wood hardness. These both show graphs with hardness on the vertical axis and distance into the tree on the horizontal axis.What we are looking for is changes rather than the height of the line on the vertical scale; thus a consistently low but steady reading is likely to indicate wood of good quality, whereas readings with rapidly fluctuating peaks and troughs, or a sudden drop in hardness is likely to indicate that the wood is decayed in those positions. The graphs that Tony sent from the felled tree are steady, and strongly imply that the tree was not decayed at the position where it was drilled.If this was the only resistograph test taken on the tree and the tree was cut down on the basis of this test, then I would say that removal was not warranted. Is it possible that the tree was removed for another reason?
Have a happy Christmas and good 2011
Regards
Patrick

Tradução

Eu utilizo (agora ocasionalmente) o Digital microProbe (DmP),que é semelhante ao resistógrafo e mede a qualidade da madeira. Ambos demonstram gráficos com a dureza da madeira no eixo vertical a espessura da árvore no eixo horizontal. O que devemos procurar principalmente são alterações à altura da linha na escala vertical; desta forma uma leitura consistentemente baixa indica normalmente madeira de boa qualidade, enquanto que leituras com flutuações de picos, declives ou quedas abruptas na dureza da madeira indica provavelmente que a madeira está apodrecida. Os gráficos que o Tony enviou da árvore cortada são estáveis, e indicam fortemente que a árvore ainda não estava apodrecida quando foi cortada. Se este foi o único teste de resistógrafo feito à árvore, e a árvore foi abatida com base neste único teste, então eu posso afirmar que este abate não foi razoável. É possível que a árvore tenha sido retirada por outro motivo?

Equipamentos usados para análise da qualidade da madeira das árvores

MicroProbe (DMP)
Sibtec DmP (jpg) A

Nota: um resistograma não é mais do que um furo feito na árvore com um berbequim onde um instrumento mede a resistência que a madeira oferece à broca. É uma forma de se verificar o estado do interior de uma árvore.

Resistógrafo

Edit40321F300S053minoruOp

PlatanoA8tronco
O que resta do Plátano A8, depois do seu abate

3 comentários:

Anónimo disse...

E, não pode ser feita queixa num Tribunal comunitário ???
Porque nos nacionais é escusado...

Anónimo disse...

É verdade que o relatório apresentado pelo Prof. Fabião não diz, preto no branco, que o plátano, A, B, ou C deve ser abatido mas, quem esteve presente na sessão de esclarecimento (?)efectuada na Junta de Freguesia de Colares, facilmente percebeu que a sua opinião (ou a da EP ?) seria a de que, gradualmente, a maior parte daquelas árvores deveria ser substituida por outras de menor porte, indicando mesmo aquelas que, na sua opinião poderiam ser plantadas.
Pena é que tenhamos de recorrer a especialistas estrangeiros para nos ajudar a entender e a julgar aquilo que por cá se faz. Habituámo-nos a não questionar e a aceitar ou, como diz o comentarista anónimo - porque não pedem (outro relatório, presumo)? quando deveria ser porque não nos juntamos para pedir?
Através de email contactei a Alagamares que tem um protocolo com a "SETA", no sentido de poder esta Associação, através de algum dos seus dirigentes, nomeadamente o seu presidente, um silvicultor competente, poder dar-nos alguma achega sobre o assunto. Já passaram algumas semanas e, nenhuma resposta recebi.
É realmente muito mais fácil escrever bonitos textos na blogoesfera do que agir.
E é pena.
emília reis

Anónimo disse...

"Sintra Ambientalistas vão apresentar queixa contra Estradas de Portugal por abate de árvores
Sintra, 03 jan (Lusa) -
- A Quercus, a Liga Portuguesa da Natureza e a Associação Árvores de Portugal anunciaram hoje que vão apresentar queixa ao Ministério Público contra a empresa Estradas de Portugal devido ao abate e poda de árvores em Colares, Sintra.
Expresso"