terça-feira, abril 06, 2010

Na faina (Praia das Maçãs)

pmacasfaina5f

pmacasfaina6f

pmacasfaina4f

pmacasfaina3f

Quinto poema do pescador

Eu não sei de oração senão perguntas
ou silêncios ou gestos de ficar
de noite frente ao mar não de mãos juntas
mas a pescar.


Não pesco só nas águas mas nos céus
e a minha pesca é quase uma oração
porque dou graças sem saber se Deus
é sim ou não.

Manuel Alegre


*Praia das Maçãs, 11 de Março de 2010, numa manhã de pesca activa, em frente ao areal.

7 comentários:

Helena disse...

lindo lindo lindo
:)

Anónimo disse...

11 de Março de 2010 ???

Pedro disse...

... pois.
Mas quando o arrasto se faz a esta distância da costa não espanta que os mares fiquem esgotados e estéreis. Depois são os próprios profissionais que se vêm queixar.
Entretanto devem estar à espera dos submarinos para fiscalizar as pescas.

Anónimo disse...

Gostei!

Teresa C.

pedro macieira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
pedro macieira disse...

De facto nunca tinha presenciado tamanha azáfama, tão perto do areal da praia.Naquela tarde de Março, haveria cardumes a dar à costa...

Abraços

Fatyly disse...

Já presenciei várias vezes e realmente é uma autêntica "aventura sem medos". Puxa!!!