sexta-feira, abril 30, 2010

MOSTRA da PAACS em S.Pedro de Sintra

Photobucket

Vai a PAACS-Plataforma das Associações e Agentes Culturais de Sintra http://www.paacs.pt/ realizar no dia 2 de Maio, no Largo da Feira de S.Pedro de Penaferrim(Sintra),e com o apoio da Junta de Freguesia local uma mostra de actividades dos diversos grupos integrantes bem como dos demais,individuais ou colectivos que, no espírito dos objectivos da PAACS(ver site) se queiram associar.

quinta-feira, abril 29, 2010

Árvores de Sintra (II)-Actualizado

Talvez seja só para memória futura, a foto que publicamos hoje.
A rua Francisco dos Santos acordou esta manhã, com as árvores marcadas para a já tradicional barbaridade Sintrense, com a cumplicidade, de todos os que se arvoram em defensores do meio ambiente, mas que nos últimos tempos continuam em silêncio profundo e com os principais responsáveis sentados na Câmara Municipal de Sintra.


Photobucket

Actualização 14H03m

Publicamos um comunicado de Imprensa do Bloco de Esquerda sobre a questão das podas municipais em Sintra:

Comunicado de Imprensa

O Bloco de Esquerda de Sintra levou à Assembleia Municipal a polémica em torno das podas das árvores que os serviços da Câmara de Sintra têm vindo a realizar ao longo dos últimos meses.

Considerando que esta actividade, efectuada num período em que as árvores já têm frondosa folhagem, tem impactos negativos na saúde das árvores, na nidificação das aves e na paisagem, o BE/Sintra propôs a suspensão imediata da intervenção, recomendando que, no próximo ano, as podas se realizem mais cedo.

A realização de podas tardias contraria os pressupostos do Regulamento para a intervenção em Árvores de Sintra apresentado à UNESCO em 2005, integrado no Plano de Gestão da Paisagem Cultural de Sintra e a opinião de especialistas conceituados, como por Exemplo o Arquitecto Gonçalo Ribeiro Telles.

No entanto, tais argumentos não foram suficientes para convencer a coligação Mais Sintra e alguns dos eleitos e eleitas do PS, tendo a proposta sido recusada com os seus votos contra.

O BE/Sintra lamenta que a maioria dos Deputados e das Deputadas Municipais não tenham sensibilidade para a necessidade de proteger as árvores do concelho de Sintra e manterá a exigência de que as podas sejam realizadas na devida altura.

Sintra, 28 de Abril de 2010


A proposta do BE, rejeitada pela Coligação Mais Sintra (PPD/PSD e CDS/PP) e alguns dos eleitos e eleitas do PS-Aqui

Árvores de Sintra

Photobucket

Em 24 de Janeiro de 2010, publicámos imagens do estado das árvores no Carrascal/Sintra, após as bárbaras podas a que tinham sido sujeitas.

Hoje, 4 (quatro) meses depois, publicamos as fotos do estado dessas tristes árvores, amputadas dos seus ramos, sabe-se lá com que justificações "técnicas"...

Infelizmente depois destas, a Câmara Municipal de Sintra, continuou a praticar estas barbaridades um pouco por todo o lado.

Photobucket

Photobucket


Photobucket

quarta-feira, abril 28, 2010

Greves dos Ferroviários

A propósito desta notícia:

Greve: Linhas de Sintra, Azambuja e Cascais retomam ligações

27.04.2010 - 17:01 Por Lusa

"A greve dos maquinistas paralisou, até às 14h00, 90 por cento do tráfego ferroviário em todo o país, acrescentou a mesma fonte, prevendo que durante a tarde regresse alguma normalidade.

A linha de Sintra, tal como as linhas da Azambuja e cintura (Meleças, Oriente, Alverca) vão ter parte da circulação garantida, com dois comboios por hora entre as 17h00 e as 21h00 de modo a assegurar o transporte dos clientes no final do dia.(...)"
No jornal Público de ontem

Photobucket

Photobucket

Photobucket
Ilustração Portuguesa Nº413 de 19 de Janeiro de 1914

terça-feira, abril 27, 2010

A Adega Regional de Colares no "Prós e Contras" da RTP

adega2

O Programa "Prós e Contras" de ontem, sobre o tema "Para Comer é necessário produzir", foi transmitido directamente da Adega Regional de Colares. Neste programa o Vinho de Colares,
como não podia deixar de ser, teve a oportunidade de ser referenciado, numa intervenção do Presidente da Adega Regional de Colares.


adegavinhocolares2


Programa de dia 26 de Abril 2010

Vinho. Azeite. Leite. Cereais. Frutas. Cortiça. A agricultura está de regresso. A terra ganha valor e importância. Em tempo de crise, o país volta aos sectores produtivos e aposta na exportação. O maior debate da televisão portuguesa reúne grandes e pequenos interlocutores da vida agrícola. Para comer é preciso produzir. Em directo da Adega Regional de Colares.

adegaprosecontras3

adegaproecontras

Adegaprosecontras2

Terminando o programa com um justo brinde ao Vinho de Colares!

adegavinhocolares

segunda-feira, abril 26, 2010

domingo, abril 25, 2010

No dia em que Salgueiro Maia partiu para Lisboa

2f20ef80
Salgueiro Maia(foto de Alberto Frias, Jornal Expresso)

"Pela uma e trinta, Salgueiro Maia manda acordar todo o pessoal presente na EPC e formar na parada, a fim de que o comandantes de esquadrão (capitão Tavares de Almeida e tenente Santos
Silva) ponham o pessoal ao corrente da situação e da finalidade e objectivos do Movimento.
A adesão do pessoal é entusiástica e incondicional. A dura prova a que foram sujeitos quarenta dias antes, quando obrigados a participar no cerco aos camaradas sitiados no RI5 das Caldas da Rainha, está ainda por desagravar. É aquele o momento. Todos exigem a sua integração na coluna que se vai formar para seguir para Lisboa.Há problemas de selecção.Dos quinhentos militares em serviço na EPC, só poderão participar duzentos e quarenta na marcha até ao Terreiro do Paço. cento e sessenta atiradores e um esquadrão de reconhecimento e dez viaturas blindadas.
(...)
Salgueiro Maia comandará a força, tendo o tenente Assunção como seu adjunto. A EPC fica comandada pelo major Rui da Costa Ferreira."

Em "Alvorada em Abril" de Otelo Saraiva de Carvalho

Depois do Terreiro do Paço o Largo do Carmo

sexta-feira, abril 23, 2010

Na Primavera as Árvores de Sintra ficam sem os ramos

Photobucket

Embora com uma fraca qualidade, este pequeno vídeo permite verificar a extensão dos estragos causados pelas brutais podas camarárias, na rua D.João de Castro em Sintra.



Photobucket
*Fotos e vídeo da Rua D.João de Castro/ Sintra em 22/04/2010

quinta-feira, abril 22, 2010

O título deste post fica à escolha do leitor!

Rua D.João de Castro em Sintra, fotos de 21-04-2010

Photobucket

Photobucket

Photobucket

Para comparar a evolução das podas Camarárias na rua D.João de Castro:
Fotos de 15-04-2010 e fotos de 16-04-2010.

Agora a barbaridade, começou nos Plátanos da Rua General José Esteves Morais Sarmento- foto de 21-04-2010
Photobucket

PARA MEMÓRIA FUTURA
AS Copas , o Verde, das Tílias de que a CMS não gosta (foto de 16-04-2010, antes das amputações camarárias- R.D.João de Castro)
Photobucket

*Nota verificar na foto nos ramos das tílias, as formas criadas por podas anteriores semelhantes ao que voltou a acontecer este ano, e que é notória a debilidade dos novos ramos que surgem a partir dos coutos, provocados por incorrectas técnicas de poda de árvores (ornamentais).

quarta-feira, abril 21, 2010

Vinho de Colares

Vinhos de Colares

Uma noticía do jornal "Público" de ontem:

Sintra procura relançar o Vinho de Colares

Depois de décadas no esquecimento, os produtores de Colares aumentaram o número de vinhas e juntam esforços para relançar um vinho que há cem anos estava na moda.

É numa região entre a serra de Sintra e o oceano, fustigada por ventos marítimos e com elevada humidade, que nascem as pequenas uvas da casta ramisco que dão cor ao vinho de Colares. As características da vinha que produz o Colares DOC (Denominação de Origem Controlada), rasteiras, com raízes a quatro metros da superfície, permitiram às vinhas escapar no final do século XIX à filoxera, uma doença provocada por um insecto, que dizimou vinhedos por toda a Europa.

Face à escassez de vinho na época, e uma vez que as vinhas de Colares não foram afectadas, este produto dominou as preferências durante décadas. Segundo o enólogo da Adega Regional de Colares, Francisco Figueiredo, citado pela Lusa, a queda de produção na década de 1960 deve-se essencialmente a uma quebra da área das vinhas, motivada pela "especulação imobiliária da zona e o abandono das actividades agrícolas".

De acordo com o enólogo, a adega, inaugurada em 1931, prepara "um pequeno incremento" de produção com a plantação de duas novas vinhas em 2011. "Em termos de litros serão poucos, mas aqui o pouco é importante, uma vez que a produção é muito diminuta. As vinhas a implantar são em chão de areia, cerca de três hectares, e poderão produzir cinco mil litros. A produção por hectare é bastante baixa porque a maior parte das vinhas são velhas, o que não quer dizer que seja mau, mas produzem menos".

A Fundação Oriente, em finais de 1999, adquiriu nove hectares de terreno em chão de areia, perto das Azenhas do Mar. As primeiras garrafas foram lançadas em 2004. "A fundação trouxe um bocado de irreverência ao vinho Colares. Digo isto porque causámos um impacto um bocado maior do que se estava à espera em termos de viticultura. Pegámos no que era o tradicional e tentámos que se mecanizasse o máximo possível", disse o enólogo César Gomes.

A instituição prepara a plantação de mais hectares de vinhas, para fazer subir a produção das actuais 4500 garrafas para 25 mil. Além da adega regional e da Fundação Oriente, existem no mercado outras marcas como a Viúva Gomes, Chitas e Cascawines. Para relançar o vinho produzido a partir da casta ramisco, a Câmara de Sintra apoia hoje, no Tivoli Palácio Seteais, o primeiro almoço de Colares, que junta produtores e agentes do sector.

terça-feira, abril 20, 2010

Birdwatching - Gaivotas

Hoje fugimos um pouco para o litoral e observamos as gaivotas no seu ambiente natural, em duas das praias do litoral Sintrense - a Praia das Maçãs e a Praia da Adraga.

Photobucket

Photobucket

Photobucket


Photobucket

segunda-feira, abril 19, 2010

As infelizes Árvores de Sintra (IV)

As ditas "podas camarárias" Sintrenses, tem tido repercussões na blogosfera, e em associações especializadas em arboricultura - "Árvores de Portugal" e o blogue "A Sombra Verde", dão grande destaque às barbaridades que por aqui continuam a acontecer.


Photobucket
De um texto de Pedro Nuno Teixeira Santos:
(...)

Ao con­trá­rio dos plá­ta­nos e das tílias de Sin­tra, a igno­rân­cia é uma ver­da­deira e peri­gosa infes­tante. Mas que tem solu­ção e sim­ples. Basta ter von­tade de apren­der. Infor­ma­ção, nos dias que cor­rem, é coisa que não falta. Dá-se o caso, inclu­sive, da pró­pria CMS ter orga­ni­zado, no ano tran­sacto, um ciclo de con­fe­rên­cias deno­mi­nado Coi­sas d’ Árvo­res. A apre­sen­ta­ção do evento rezava assim:

Con­tri­buir para que, se as árvo­res se pudes­sem ver ao espe­lho, gos­tas­sem da ima­gem reflec­tida e lou­vas­sem o cui­dado posto na sua fisi­o­no­mia, saúde e pre­ser­va­ção é o tema para o ciclo de acções for­ma­ti­vas que a autar­quia pro­move, gra­tui­ta­mente, no Palá­cio Valen­ças, em Sintra.

Pas­sado um ano, e após as bar­ba­ri­da­des que têm sido rela­ta­das em vários blo­gues, permitam-me reti­rar a seguinte con­clu­são: de nada ser­viu o dinheiro gasto nes­tas con­fe­rên­cias. Nada se apren­deu! Tal­vez por­que, arrisco a opi­nar, o objec­tivo real nunca foi o de apren­der a saber gerir o patri­mó­nio arbó­reo do con­ce­lho mas, tão-somente, criar a ilu­são, entre os sin­tren­ses, de que a manu­ten­ção das árvo­res orna­men­tais iria mudar para melhor.(...)

Ler mais -Aqui


Photobucket

sábado, abril 17, 2010

As infelizes Árvores de Sintra (III)

tiliasDJoãodeCastro1604201033final

tiliasDJoãodeCastro160420103final
O resultado das "podas camarárias" nas tílias da Rua D.João de Castro em Sintra -Fotos de 16 de Abril de 2010.

A teoria e a prática dos autarcas Sintrenses

Dirigido a uma peticionária da petição que temos divulgado "Em Defesa das Árvores de Sintra" em 28 de Janeiro de 2010, o Vice-Presidente da CMS, Marco Almeida com o Pelouro do Ambiente e Intervenção Local, respondia da seguinte forma, a uma reclamação acerca da intervenção dos serviços camarários relativamente a vários espaços verdes do município -resposta que publicamos parcialmente:

Photobucket

Para que se conheça o que o Presidente Fernando Seara,submeteu à UNESCO, sobre a intervenção em árvores em Sintra:

Paisagem Cultural de Sintra - Plano de Gestão
Ficha 30 - Regulamento para a intervenção em Árvores de Sintra

"(...) O corte e a poda de árvores reduzem-se ao minímo indispensável . O abate , em regra só deverá ocorrer depois da árvore ter atingido o termo da sua longevidade, isto é , quando começar a secar, definhar ou apresentar sintomas nítidos de decrepitude; as restantes situações deverão ser ponderadas, de acordo com o estipulado no regulamento e/ou legislação vigente. O regulamento aplica-se a qualquer intervenção que seja necessário em árvores que se insiram em zonas verde de uso público, zonas verde de protecção e enquadramento, estradas e arruamentos, praças e logradouros públicos .
Aplica-se ainda, em elementos similares que se situem em pátios, quintas e propriedades de carácter privado.
Visa aprotecção dos exemplares designados de interesse concelhio ou classificados pela Direcção- Geral de Florestas.
(...)
É com esta determinação que assumimos o presente Plano de Gestão e o submetemos à apreciação da UNESCO.

Sintra 24 de Janeiro de 2005

O Presidente da Câmara Municipal de Sintra
Fernando Reboredo Seara"


FernandoSearafutebol2

World Press Cartoon 2010

cartoon

O World Press Cartoon, salão de referência no mundo do humor gráfico de imprensa, abre ao público no próximo dia 17 de Abril, no Sintra Museu de Arte Moderna, depois da habitual cerimónia de entrega de prémios aos melhores trabalhos realizados em 2009, que vai realizar-se dia 16 no Centro Cultural Olga Cadaval, às 21h30. A exposição fica patente até 4 de Julho.

O World Press Cartoon 2010 tem como objectivo distinguir e dar a conheceros melhores trabalhos produzidos e publicados em jornais ou revistas, nas áreas de cartoon editorial, caricatura e desenho de humor, durante o ano de 2009.

400 trabalhos vão estar patentes ao público de 17 de Abril a 4 de Julho, de terça-feira a domingo entre as 10h00 e às 18h00, incluindo feriados (excepto 1 de Maio). A exposição tem entrada livre.

(Texto da CMS)

sexta-feira, abril 16, 2010

As infelizes Árvores de Sintra (II)

Photobucket
Foto-montagem, com o resultado das "podas" que a CMS patrocina, que permitiria a visualização deste horrivel espectáculo quando o Presidente Fernando Seara, assomasse à janela do seu gabinete, para observar a "Paisagem Cultural de Sintra, Património da Humanidade."


A saga das bárbaras amputações de árvores em Sintra continua imparável, desta vez as tílias da rua D.João de Castro, as fotos amavelmente enviadas por C.G. testemunham as "técnicas" em uso cá no burgo, e demonstram uma total falta de sensibilidade pelo ambiente, por parte de quem tem a responsabilidade do município Sintrense.

Fotos de 15 de Abril de 2010, da rua D.João de Castro em Sintra
Photobucket
foto:CG
Photobucket
Foto:CG
Photobucket
Foto:CG

Aqui ficam mais uma vez as pertinentes questões que a petição em defesa das árvores de Sintra, coloca a quem de direito:


1. As árvores da vila de Sintra são diferentes ou obedecem a regras diversas das árvores existentes noutras localidades do concelho?
2. Qual a competência técnicas das equipas que procedem ao abate e podas das árvores?
3. A que entidade pertencem estas equipas de abate e poda?
4. O que justifica a poda radical das árvores?
5. Que destino tem a madeira resultante de tais podas e abates?
6. Quais são os planos para os espaços ajardinados acima citados onde existiam árvores?
7. Quais são os planos para plantação de árvores nos locais acima descritos?
Pedimos-lhes também que providencie e dê instruções para o fim da destruição do pouco património arborícola que nos resta e que se não for para nós próprios ao menos que seja para continuarmos a merecer a distinção de sermos Património Cultural do Mundo.

quinta-feira, abril 15, 2010

As infelizes Árvores de Sintra

Photobucket

Uma imagem recolhida de um Munícipio que se candidatou à eleição das "7 Maravilhas Naturais de Portugal" na categoria de Paisagem Natural-Património da Humanidade!!!!!!

Foto da zona do Largo do Morais em Sintra em 2 de Abril de 2010.

Photobucket

Sobre as "podas" Sintrenses, no Largo do Morais , ler-aqui

Photobucket
E -aqui

Ler e assinar petição em defesa das árvores de Sintra -aqui

quarta-feira, abril 14, 2010

terça-feira, abril 13, 2010

Sintra e as Sete Maravilhas Naturais de Portugal

Maravilhas2010

Depois da votação das "Sete maravilhas do Mundo" das "Sete Maravilhas de Portugal" em 2007 e das "Sete Maravilhas de origem Portuguesa do Mundo" em 2009, surge agora uma nova votação com o tema "Sete Maravilhas Naturais de Portugal",cujos vencedores serão conhecidos em Setembro de 2010.

Nesta votação está Sintra, que a CMS, candidatou com a Paisagem Cultural - Património da Humanidade, que está em votação até dia 7 de Setembro de 2010.
Votar aqui:
www.7maravilhas.sapo.pt/

segunda-feira, abril 12, 2010

O dia Nacional dos Moinhos

Photobucket

No dia 7 de Abril, foi comemorado o dia Nacional dos Moinhos, embora com alguns dias de atraso, aqui fica o nosso registo desta efeméride, com as fotos dos moinhos existentes em "A dos Eis" localidade de nome curioso próximo de Fontanelas/Sintra.

Estes moinhos estão bem conservados, e as suas velas em movimento indiciam que os seus mecanismos continuam a funcionar.

Photobucket

"O moinho foi criado para ajudar o homem a produzir um bem essencial à sua existência, com a utilização de uma força completamente natural, o vento.
Na zona de Lisboa existiam no final do século XVIII cerca de 500 moinhos, que tinham capacidade para produzir perto de meio quilo diário de pão por pessoa, a chamada ração. Foram estrategicamente construídos nos últimos 50 anos do século. Funcionaram em pleno por mais 50 anos, mas a logística e os custos de manutenção eram elevados. A industrialização veio permitir concentrar a produção em uma ou duas fábricas e os velhos moinhos foram fechando uns atrás dos outros. As fábricas tinham acesso mais facilitado a trigo importado, que era a metade do preço.
Em meados dos anos 60 estimou-se que existiam 11.000 moinhos de água e vento a funcionar e com uma produção dirigida ao mercado, mas em pouco tempo chegou-se a conclusão que o número seria muito maior, uma vez que, cada casa rural, com propriedade, tinha um pequeno moinho.
Os moinhos portugueses estão hoje quase todos em ruína, mas os municípios têm recuperado alguns.
Em Vila Verde, Figueira da Foz, foi a Junta de Freguesia que se encarregou de substituir um moinho existente, por outro exactamente igual, para que fosse conservado e pudesse ser mostrado a populações futuras, de modo a que não caísse em esquecimento e fosse recordada a sua importância.(...)"
Texto retirado do blogue Vila Verde Alerta da Junta de Freguesia de Vila Verde, Figueira da Foz

Photobucket

domingo, abril 11, 2010

Praia das Maçãs com tempo de Verão

Photobucket

Sábado, dia que deu para matar saudades do tempo de Verão. Um olhar atento permitia observar uma grande variedade de actividades, aproveitando um dia com muito sol.

Photobucket

Photobucket