sábado, março 27, 2010

Palácio do Ramalhão




Revista "Ilustração" nº61 de 1 de Julho de 1928

O Palácio do Ramalhão pertence ao ciclo de obras neoclássicas de Sintra, dinamizado pelo seu primeiro proprietário, Luís Garcia de Bivar, que ampliou um velho casal agrícola já aí existente em 1470, e fez erigir o conhecido Aqueduto do Ramalhão (1744), foi transformado em recinto palaciano depois de 1768, aquando da posse de D. Maria da Encarnação Correia, na fase da estada do escritor William Beckford (1787). Aqui estadiou amiúde D. Carlota Joaquina, após 1802, tendo vivido desterrada depois de recusar jurar a Constituição de 1822. Edifício com fachadas e frisos neoclássicos, decoradas com grinaldas do estilo Luís XVI, preserva jardins ainda com certo sabor aristocrático e, na sala do refeitório, pinturas a fresco de carácter exótico, atribuíveis ao pintor Manuel da Costa, um dos decoradores do Palácio de Queluz.

Texto CMS

Palácio do Ramalhão



4 comentários:

Pedro disse...

Agora é apenas um local de passagem, dominado pela esmagadora rotunda, mas já foi um pólo fundamental da vida de Sintra.
http://bonecosdebolso1.blogspot.com/search/label/Ramalh%C3%A3o

pedro macieira disse...

Irei voltar a este tema em breve.
Um abraço

Fatyly disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fatyly disse...

tinhas erros e eliminei, cof, cof, mas já vou pôr pilhas:)

aqui vai:

local de passagem e entregue ou explorado por freiras, onde funciona o Colégio do Ramalhão. Conheçi por dentro e por fora e ao longo dos anos foram feitas obras algumas de conservação outras nem por isso, que só visualizo por fora e de pontos mais altos. Se tem alguma parte, "tipo museu e aberto ao público" desconheço por completo!

É de facto apenas e tão só um local de passagem como refere "Pedro" mas a rotunda foi um "mal" necessário e não vejo que testoe muito com os muros altos da zona envolvente. Agora a bomba de gasolina, isso sim...deveria estar noutro local.